Ministro da Comunicação Social deixa cargo após vazamento de documento

Thomas Traumann entregou pedido à presidente Dilma, que aceitou.
26/03/2015 12h58 - Atualizado em 26/03/2015 12h58
Foto: Reprodução/Internet

Fonte: Reuters

O ministro Thomas Traumann deixou a Secretaria de Comunicação Social da Presidência, nesta quarta-feira, em meio ao vazamento de um documento interno creditado a ele em que avalia haver “um caos político” no governo.

Nesta quarta, a presidente Dilma Rousseff aceitou o pedido de demissão de Traumann e agradeceu a “competência, dedicação e lealdade” do ministro.

A saída de Traumann ocorre após o vazamento de documento creditado à Secom com críticas à comunicação do Executivo, que seria “errada e errática”. Dilma disse a jornalistas que o documento, revelado pelo jornal O Estado de S. Paulo, não era “oficial” e que não tinha sido discutido pelo governo.

Traumann é o terceiro ministro a sair do cargo depois que a presidente tomou posse do segundo mandato este ano. Deixaram o governo Marcelo Nery, ex-ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos, e Cid Gomes, ex-ministro da Educação. Nery foi substituído por Mangabeira Unger.

À frente da Secom desde o início de 2014, substituindo a ex-ministra Helena Chagas, Traumann já fazia parte do governo desde o início do primeiro mandato de Dilma. Em 2011, chefiou a comunicação da Casa Civil até a saída do ex-ministro Antonio Palocci.

No Twitter, o ex-ministro citou versos do compositor Paulinho da Viola após a saída do governo.

“Vou imprimir novos rumos. Ao barco agitado que foi minha vida”, disse numa das postagens.


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Contato Termos de uso