Marcos Galvão prestigia Campeonato de Jiu Jitsu

Atual detentor do cinturão do pesos galo (61kg) do Bellator desembarcou na Capital
20/04/2015 10h46 - Atualizado em 20/04/2015 10h46

Foto/ Divulgação: Sejel


Dono de um respeitável cartel de 17 vitórias (4 nocautes, 12 decisões da arbitragem e uma finalização), o amazonense Marcos “Loro” Galvão, atual detentor do cinturão do pesos galo (61kg) do Bellator desembarcou em Manaus na última sexta-feira (17) e neste domingo(19) esteve presente na XVIII edição do Campeonato Amazonense de Jiu Jitsu, realizado pela Federação de Jiu Jitsu do Amazonas (FJJAM) e que contou com apoio do Governo do Amazonas através da Secretaria de Estado da Juventude, Esporte e Lazer (SEJEL).
Assediado pelos admiradores da arte-suave que estavam na Arena Amadeu Teixeira assistindo o evento, o campeão exaltou o campeonato. Segundo ele, o número de participantes mostra a importância do evento.

“Conversei com o secretário municipal de esportes, o Elvys e ele me disse que foram mais de três mil atletas inscritos. Isto mostra o nível da competição e o quanto o campeonato é difícil”, afirmou.

Atualmente, são pouco mais de quatro anos que o campeão mora efetivamente em Nova York, junto com a esposa, Paula Galvão. Mas segundo o lutador, este é o momento de trabalhar ainda mais. “Muita gente pensa que lutador é rico. Bem, falando francamente, eu não sou. Pelo contrário. Como não tenho patrocínio, ralo muito. Preciso dar aula, trabalhar, treinar. Cheguei em nível que foi fácil chegar. O difícil vai ser se manter. Então eu preciso de ajuda para me manter. Manter meu cinturão no Brasil e em Manaus. Saiu até na neve para dar aula. A vida lá não é fácil”, disse.

São pelo menos 15 lutas em eventos internacionais, feito que fez com que o lutador tivesse portas abertas em outros eventos. Mas segundo ele, este é o momento de mostrar profissionalismo e respeitar o contrato assinado com o Bellator.

“Faz tem que o Ultimate me procura, mas vou respeitar o meu contrato. Se quisesse estar no UFC já estaria. Mas tenho o contrato e vou respeitar. Vou continuar no Bellator para dar show”, contou.

Entre um clique e outro, o lutador fará ainda uma agenda de compromissos em território manauara. Quanto ao próximo adversário, o manauara cria do bairro do Alvorada se diz ciente do que tem pela frente.`

Segundo ele, a primeira defesa de cinturão pode acontecer em setembro ou outubro. “Devo enfrentar o vencedor do confronto entre Eduardo Dantas (brasileiro da Nova União e antigo detentor do cinturão) e o norte-americano Mike Richman”, disse Loro que não vê empecilhos em lutar contra o brasileiro, último oponente a vencê-lo. “Já sai da Nova União. Então não tem problemas. Eu o conheço, ele é meu amigo. Mas chegou a hora de pensar no meu nome”, afirmou.

A CONQUISTA

Questionado sobre a conquista do cinturão, o lutador afirmou que a revanche contra Joe Warren veio na hora certa. “Eu já tinha perdido pro Warren em 2011 na luta mais roubada do mundo. Mas chegou a revanche e, eu até queria manter a luta em pé, mas ele me levou para o chão e fiz o que sei de melhor. Finalizei”, disse Loro que finalizou o norte-americano com uma leg-lock (chave de perna).


*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.


Facebook

Economia

Contato Termos de uso