11/06/2015 15h17 - Atualizado em 11/06/2015 15h37

Comendo bem na rua

Foi se o tempo que comida boa estava apenas em restaurantes, agora está em todo local.
Foto: Acervo pessoal
Foto: Acervo pessoal

Sentar em um restaurante e pagar caro para comer uma boa comida? Já se foi o tempo em que isso era necessário. Em tempos de uma economia instável e que, para sobreviver, precisamos enxugar tudo quanto é despesa, comer bem e pagar pouco, me parece uma boa opção.

Quando falo em comida de rua, tenho certeza que grande parte dos que estão lendo esse texto pensam no nosso famoso “X-Salada” ou no “churrasquinho de gato do tiozinho da esquina”. Acho que todo alimento tem o seu valor, e particularmente falando, um churrasquinho bem feito deixa muito prato caro no chinelo.

Mas hoje a realidade é outra e grandes chefs abraçaram com força essa idéia de fazer comida de alto nível, barata e vende-las fora de seus estabelecimentos. Em São Paulo, por exemplo, as comidas do chef brasileiro de maior renome mundial, Alex Atala, já foram vendidas em barraquinhas de rua por um valor bem menos salgado dos que são cobrados no salão de seu restaurante.

Roberta Sudbrack , umas das mais badaladas chefs do momento e dona de um dos restaurantes mais famosos do Rio de Janeiro, vende hot dog, com salsichas diferenciadas em um trailler. Posso citar vários outros, mas acho que já deu pra entender onde eu queria chegar.

Manaus como uma grande cidade que é não poderia ficar de fora dessa tendência gastronômica e nos últimos meses ganhou edições de feiras de rua que foram o maior sucesso. O Chef que aqui vos escreve participou de algumas delas e pode lhes afirmar que foi fantástico! É incrível o poder que a comida tem em reunir uma quantidade absurda de pessoas no mesmo lugar. Apesar de nossa cidade ainda estar engatinhando nesse tipo de segmento, vejo um “holofote” no fim do túnel, além disso, vejo pessoas interessadas e descobrindo que boa comida não é um privilégio de poucos.

Além de feiras e barraquinhas, estamos também, no momento dos food trucks. Aqui em Manaus já temos um truck e alguns traillers, muito longe da quantidade existente em outros grandes centros. O lado positivo é que todos, apesar da pouca quantidade, vendem comida de altíssima qualidade. Tenho certeza que o pontapé inicial já foi dado, e em pouco tempo, Manaus terá um cenário gastronômico de respeito. Se olharmos para alguns poucos anos atrás e compararmos as mudanças que acorreram nesse setor, acredite, ela foi gigantesca!

Ah, no ímpeto de passar as ideias para o papel, acabei esquecendo de me apresentar. Meu nome é Guilherme Valente, sou chef de cozinha e apresentador do programa “Sabores e Ideias”. A partir de agora, semanalmente, estarei colocando algumas ideias e assuntos no papel, além de dicas e receitas, levando-as à vocês leitores, através da coluna “Entrelinhas da Gastronomia”.Não posso também deixar de agradecer aos que estão envolvidos no projeto, obrigado pelo espaço, vocês estão colaborando com o engrandecimento dessa área incrível, que é a gastronomia. Espero que gostem da leitura e até semana que vem !

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505