12/06/2015 16h59 - Atualizado em 12/06/2015 16h59

Estelionatários são presos em Manaus

O grupo aplicava golpes oferecendo facilidades para a aquisição de imóvel por meio de programa social.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O delegado Rodrigo de Sá Barbosa, titular do 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), falou durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta sexta-feira, 12, na sede da unidade policial, sobre o resultado da ação que culminou nas prisões de Ana Rita Muniz Vieira, 33, conhecida como “Magaly”; Mayara da Silva Barbosa, 31; José Geraldo Santos de Araújo, 53; e Shirley Maria da Silva, 49, envolvidos em crime de estelionato em Manaus.

De acordo com Rodrigo de Sá, o grupo aplicava golpes oferecendo facilidades para a aquisição de imóvel por meio de programa social. Aproximadamente 300 pessoas teriam sido vítimas do bando. Conforme o titular do 1º DIP, esses indivíduos teriam pago R$ 1 mil, cada, aos infratores em troca de apartamento em conjunto habitacional.

Rodrigo de Sá informou, no momento da coletiva, que a ação policial foi deflagrada na manhã de ontem, dia 11, por volta das 9h30. A líder do bando, Ana Rita, foi a primeira a ser presa. Ela estava em um órgão municipal situado na Rua Carvalho Paes Andrade, bairro São Francisco, zona Sul. O delegado frisou que a mulher é proprietária de dois boxes comerciais situados em feira municipal localizada na Avenida Djalma Batista.

Em andamento aos trabalhos, os policiais civis prenderam José Geraldo por volta das 11h30, em via pública, na entrada do Conjunto Manôa, bairro Cidade Nova, na zona Norte. Logo em seguida eles chegaram até Shirley, presa por volta de meio-dia e meia na empresa onde ela trabalhava, na Rua Pará do Conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, zona Centro-Sul. Já Mayara foi presa por volta das 13h, na sede do 1º DIP.

A autoridade policial ressaltou que Ana Rita e Mayara foram presas em cumprimento a mandados de prisão preventiva por estelionato e associação criminosa. José Geraldo e Shirley foram presos em cumprimento a mandados de prisão temporária com o prazo de cinco dias, podendo ser prorrogado por mais cinco dias e ainda ser revertido à prisão preventiva. Os documentos foram expedidos no último dia 20 de maio, pela juíza Careen Aguiar Fernandes, da 5ª Vara Criminal.

“Líder do bando, Ana Rita enganava as pessoas com o sonho da casa própria. Ela e Mayara atraíam e faziam com que pessoas participassem de reuniões que tratavam de suposta aquisição dos apartamentos de programa social. Ana Rita fazia as reuniões na residência onde ela morava e pedia que fossem formados grupos de 30 pessoas. Cada participante deveria pagar R$ 1 mil. A dupla também pedia cópias de documentos pessoais dos interessados para obtenção dos apartamentos”, declarou o titular do 1º DIP.

O delegado disse, ainda, que após receberem o dinheiro, Ana Rita e Mayara paravam de atender as ligações telefônicas e desapareciam com a quantia arrecadada das vítimas. A dupla tinha o apoio de José Geraldo e Shirley, que eram denominados no grupo como “chefes de equipe” e tinham o papel de recrutar mais vítimas para a prática criminosa.

“Começamos a receber denúncias relacionadas a esse tipo de crime desde março deste ano. Então demos início às investigações e após o levantamento das informações, concluímos que aproximadamente 300 pessoas haviam sido vítimas do golpe, com o prejuízo estimado em cerca de R$ 300 mil. Ontem logramos êxito nessas prisões. As investigações irão continuar para averiguar se existem outras pessoas envolvidas no crime”, argumentou Sá Barbosa.

Fonte: Da Redação

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505