23/07/2015 07h28 - Atualizado em 23/07/2015 07h28

A rica gastronomia amazônica e os chefs cablocos no cenário mundial

Foto: Acervo pessoal
Foto: Acervo pessoal

Pouco tempo antes de decidir de vez pela gastronomia, tive uma longa conversa com um tio meu, que hoje infelizmente não está mais no meio de nós. Nesse bate papo ele me questionava a todo momento minha falta de interesse em me especializar na gastronomia de nosso estado.

Era mais jovem, não que eu seja velho, mas quase 7 anos passados é normal que tenha ganhado pelo menos um pouco mais de maturidade. Enfim, minha vontade era de ir para a Itália, me especializar e conhecer mais profundamente suas riquezas e histórias. Pois bem, não fui para Itália, mas me formei aqui no Brasil em uma das instituições italianas de mais respeito no mundo. Não sou nem um pouco frustrado em minha escolha, mas confesso que poderia ter feito e seguido às orientações do meu tio e seria também muito feliz.

Nossa gastronomia é riquíssima de sabores, texturas, ingredientes e tudo mais o que você possa imaginar. Hoje temos chefs, amazonenses, alguns de coração e outros de nascimento, que são grandes embaixadores e instrumento de perpetuação da boa gastronomia amazonense, posso citar dois desses, meus grandes parceiros Paulo Fortunato e Felipe Schaedler que são donos do Fish Maria e Banzeiro, respectivamente.

Fico muito feliz em dizer isso, pois há alguns anos as referências na gastronomia amazônica eram paulistas, tinha alguma coisa errada né!?

Não estou dizendo que são chefs ruins ou aproveitadores de ingredientes alheio, muito pelo contrário, são chefs renomados e que sempre valorizaram nossos ingredientes, minha questão é : por que demorou tanto para nós percebermos as riquezas que aqui temos e nós mesmos começarmos a usar e difundir nossa gastronomia ? É nesse momento que faço meia culpa e me coloco no time das pessoas que poderiam ter feito e usado um pouco mais do que nossa terra tem a nos oferecer.

Quando fico mais de 15 dias fora de Manaus, a primeira coisa que faço na chegada é comer uma banda de tambaqui! Tem coisa melhor que um peixinho assado e uma farinha bem tostada!? Alguns com maus pensamentos vão dizer que sim, mas meu amigo, uma bandinha de tambaqui tem o seu valor! Uma sardinha e um jaraqui fritos? Ai é maldade!

Mas hoje toda essa falta de interesse de chefs amazonenses na gastronomia local é passado, posso dizer que temos chefs locais despontando no cenário MUNDIAL, carregando o nome de nosso estado nas costas, através da comida.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505