21/07/2015 14h00 - Atualizado em 23/07/2015 20h21

Novo sistema de distribuição garante regularidade da merenda nas escolas municipais

A merenda antes era entregue nas escolas a cada 15 dias, agora é semanalmente.
Foto: Semcom
Foto: Semcom

A produção que vem de municípios do interior do Amazonas é farta. Banana, laranja, mamão, melancia, mandioca, abóbora, entre diversos outros produtos. Ao todo, a merenda escolar conta com 89 itens e quase a metade deles vêm da agricultura familiar. São 40 itens produzidos em municípios próximos a Manaus, como Itacoatiara, Iranduba, Presidente Figueiredo e outros já não tão próximos assim, como Manicoré e Eirunepé. Somente em Rio Preto da Eva são 14 cooperativas que fornecem alimentos para a Prefeitura de Manaus.

Para garantir que o alimento que vai ser entregue nas escolas realmente tenha boa qualidade a colheita é acompanhada por membros do Conselho Municipal de Alimentação Escolar (CMAE), órgão com autonomia administrativa que tem como objetivo o acompanhamento e a fiscalização da aplicação dos recursos federais do Programa Nacional de Alimentação Escolar.

“Nós acompanhamos todo o processo e fazemos a avaliação se a quantidade é adequada, se os alimentos têm qualidade, se são armazenados de forma correta e como são transportados até as escolas. Aqui, no depósito central da Semed, é possível ver que os alimentos são armazenados nos paletes, separados conforme os gêneros”, afirmou Maria das Dores de Souza, presidente do CMAE.

A nova estrutura de logística da Semed passou de oito para 22 caminhões disponíveis para a distribuição de materiais e alimentos que são servidos nas 506 unidades educacionais da prefeitura. Com isso, a merenda que era entrega nas escolas a cada 15 dias, passou a ser entregue semanalmente. São mais de 230 mil alunos atendidos.

“A prefeitura fez o investimento na adequação do seu espaço logístico, garantindo assim a melhoria na qualidade do recebimento, armazenamento e distribuição do alimento. Isso nos proporcionou um alcance maior de atendimento das escolas municipais fazendo com que o alimento chegue no prazo necessário para atender a demanda de alunos”, garantiu o chefe da divisão de alimentação escolar, Leís Batista.

Alunos aprovam cardápio escolar
Na creche municipal Ana Lopes Pereira, no bairro Compensa, zona Oeste, a hora do almoço é o momento mais alegre do dia. Diferente da merenda que era servida antigamente, só com arroz e feijão ou bolacha com um copo de suco, a refeição traz verduras, saladas, frutas, carne. A alimentação é saboreada pelos alunos mesmo contendo tomate, alface e cenoura, alimentos que, na maioria das vezes, não estão no topo da preferência das crianças.

Os cuidados para que a comida seja preparada atendendo as exigências dos órgãos sanitários são cumpridos à risca. Segundo a manipuladora de alimentos, Francisca Bastos, a principal preocupação da equipe é preparar um alimento que agrade os alunos pelo aspecto visual e paladar, ao mesmo tempo.

“Nosso maior prazer é quando vemos que eles comem tudo. Nosso cardápio é variado, rico em verduras e sempre tem uma fruta de sobremesa. Toda vez que termina o almoço e encontramos os pratos vazios, é um incentivo pra fazer as coisas com mais carinho”, afirmou.

Alimentação de qualidade garante bom rendimento escolar
Como resultado, os alunos têm apresentado melhor rendimento dentro da sala de aula e nas atividades escolares. Estudos comprovam que a baixa quantidade de nutrientes causa atrasos no rendimento, prejudicando o aprendizado. “Uma criança bem alimentada se esforça em aprender e se desenvolve muito mais rápido. Então, uma boa alimentação é fundamental para que o estudante tenha um desenvolvimento melhor”, concluiu a diretora da creche, Rinalda Ortiz.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505