18/08/2015 12h17 - Atualizado em 18/08/2015 12h17

Artesãos da Praça Tenreiro Aranha visitam locais onde serão instalados provisoriamente

A decisão foi tomada na noite da segunda-feira, dia 17.
Foto: Mário Oliveira
Foto: Mário Oliveira

Os artesãos da Praça Tenreiro Aranha, Centro, visitaram na manhã desta terça-feira, 18, os locais escolhidos por eles para trabalharem de forma provisória, a partir da realocação da categoria, que acontece na quarta-feira à noite, 19. As áreas visitadas foram o Complexo Turístico Ponta Negra, zona Oeste, e o Camelódromo Floriano Peixoto 2, na Av. Floriano Peixoto, Centro.

A decisão foi tomada na noite desta segunda-feira, 17, em reunião entre o prefeito Arthur Virgílio Neto e os artesãos, no Les Artistes Café Teatro.

Durante o encontro, o representante da categoria, Azmy Sulaiman, apresentou fotos de três prédios escolhidos por eles, no Centro, onde possivelmente possa funcionar uma Central de Artesanato definitiva. Dois imóveis foram descartados e o terceiro vai ser visitado por servidores da Subsemch e da Defensoria Pública, para verificar a viabilidade de uso e desapropriação.

Os artesãos solicitaram ainda durante a reunião que enquanto aguardam nos provisórios, a Rua José Clemente, Centro, seja preparada, depois de liberada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), para recebê-los.

“Entendemos que, se ficarmos juntos, teremos mais força. Nesse momento, nós vamos para a Ponta Negra e para a Floriano Peixoto. Mas, pedimos ao prefeito que lute pela liberação da Rua José Clemente junto ao Iphan, para que possamos nos instalar lá, até termos o nosso espaço definitivo”, disse Azmy Sulaiman.

Para o prefeito, a reunião foi muito positiva. “Considero que houve um acordo muito justo e eu garanto que vou pessoalmente conversar com o Iphan para garantir que a Rua José Clemente seja liberada o mais rápido possível, para que esses trabalhadores possam continuar vendendo suas artes. Nós vamos apoiar os artesãos da mesma forma que apoiamos os camelôs, que estão se transformando em microempreendedores. Nós vamos avançar”, destacou.

Nove artesãos indígenas da Comunidade do Janauari, presentes à audiência pública e que também trabalham na Praça Tenreiro Aranha há mais de 18 anos, de forma improvisada, tiveram sua reivindicação atendida pelo prefeito. Eles vão ser incluídos no projeto e receber os mesmos benefícios que os 45 artesãos cadastrados.

“Agora são 54 artesãos a serem incluídos no projeto. A partir desta terça-feira, 18, eles voltam a ser atendidos na Subsemch, onde vão apresentar documentação e assinar o Termo de Compromisso e Reserva de Espaço Comercial, para serem incluídos no Bolsa Auxílio já a partir deste mês. Todos também vão receber uma cesta básica mensal e passarão por cursos de qualificação. Já temos 16 termos assinados. A partir de agora, aguardamos os demais trabalhadores”, enfatizou o subsecretário municipal do Centro Histórico, Glauco Francesco.

A Subsemch fica na Av. Getúlio Vargas, 374, esquina com a Rua 24 de Maio, Centro. O horário de atendimento ao público é de 8h às 14h.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505