11/08/2015 12h18 - Atualizado em 5/05/2016 03h44

Nota oficial à imprensa, em rede social, detalha ‘mega manifestação’ contra o Governo Dilma

Mais de 300 pessoas participam da coordenação da manifestação.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Um dos coordenadores das manifestações contra o Governo Federal na capital, Kleber Romão, publicou no seu perfil no facebook no último dia 10 de agosto, uma nota oficial à imprensa sobre a manifestação que ocorrerá no dia 16 de agosto na capital e em diversas cidades brasileiras.

A nota trata de todos os detalhes da ‘mega manifestação’, que pedirá o impeachment da presidente, Dilma Rousseff (PT). A manifestação terá dois locais de concentração, um na Praça do Congresso, Avenida Eduardo Ribeiro, Centro e o outro na Avenida Djalma Batista com Rua Pará a partir das 14h.

A Djalma Batista será isolada a partir das 12h para montagem de estrutura que será palco do ato civiI, local onde idosos, pais com crianças, portadores de necessidades especiais ou todos aqueles que quiserem maior comodidade, poderão aguardar a chegada da marcha. O ato civil (depois que todos estiverem reunidos) iniciará às 17h e o encerramento da manifestação está previsto para às 20h.

De acordo com a nota, o movimento é espontâneo, democrático e tem a finalidade de levar às ruas todos os cidadãos brasileiros que estão indignados com o atual estado da política e o cenário que se encontra o país. A publicação mostra um pouco da história do movimento, que iniciou ações desde o ano de 2013.

Em um dos trechos a nota diz “por se tratar de um movimento civil espontâneo e livre, estamos abertos a todos os cidadãos que queiram mostrar sua indignação com tantas mentiras, tanta corrupção e tantos desmandos do governo. Juntem-se a nós”.

O movimento que mostra grande força em várias capitais como Brasília (DF), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Belém (PA), Campo Grande (MT), além de outras capitais, acredita que o poder da população pode afastar a presidente do cargo, segundo trata o parágrafo único do Artigo 1º da Constituição Federal que diz “Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente”.

Recomendações
Além de explicar a finalidade do evento conclamando os manauaras a participarem do ato, a nota faz algumas recomendações aos participantes, como ir de táxi, ônibus, bicicleta, a pé ou de carona, não usar roupas pretas ou vermelhas, não levar bandeiras de partidos políticos ou candidatos, usar roupas com as cores da bandeira nacional, não usar máscaras ou tecidos e papéis para encobrir o rosto, levar cartazes e faixas com as pautas do movimento, levar documento de identificação, dentre outras.

Histórico
A publicação afirma que aproximadamente um ano atrás, atos públicos foram realizados apenas com dez pessoas, época em que o movimento era desacreditado, ironizado e hostilizado. No entanto, enfatiza que atualmente o movimento é palco e voz para milhares de cidadãos em Manaus e milhões por todo o Brasil.

Segundo a nota, as ações não se limitam ao estado do Amazonas e a cidade de Manaus. Atualmente, mais de 300 cidadãos participam da coordenação da manifestação do dia 16 de agosto, que representam mais de 20 movimentos populares que pedem a saída da Presidente Dilma Rousseff.

Fazem parte da coordenação, Movimento Brasil Livre; Revoltados Online; Vem Pra Rua; Movimento Fora Dilma/AM; Movimento Amazonas em Ação; Face do Norte; Sindicato dos Médicos do Amazonas; Nas Ruas Contra a Corrupção; Movimento Brasil Melhor; Movimento Conservador do Amazonas; Clube Ajuricaba; Avança Brasil; Maçonaria; Força Sindical e Centros Acadêmicos e DCE´S de várias faculdades.

A nota finaliza enfatizando, que “a crise social, cultural, moral e ética combinada com a crise econômica mostra o prenúncio de uma verdadeira catástrofe”.

Fonte: Redação AM POST

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505