31/08/2015 15h50 - Atualizado em 31/08/2015 15h54

Pesquisa vai avaliar condições de vida e de saúde de adultos a partir de 50 anos

Manaus foi selecionada para participar da pesquisa.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O município de Manaus foi selecionado para participar, em âmbito nacional, de uma pesquisa sobre as condições de vida e de saúde de adultos a partir de 50 anos, do Estudo Longitudinal de Saúde e Bem-Estar dos Idosos Brasileiros (Elsi-Brasil). A pesquisa, que teve início nesta segunda-feira, 31, é coordenada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com apoio do Ministério da Saúde e do Ministério da Ciência e Tecnologia.

O trabalho será feito a partir de uma amostra de dez mil indivíduos com idade igual ou superior a 50 anos, residentes em 70 municípios de diferentes regiões do país. Em Manaus, a coordenação do Elsi-Brasil definiu sete setores para a execução da pesquisa: Cidade Nova (zona Norte), Petrópolis e Raiz (zona Sul), Jorge Teixeira, São José e Gilberto Mestrinho (zona Leste) e Alvorada (zona Oeste).

O secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto, explica que a pesquisa pretende identificar como as pessoas estão envelhecendo no Brasil e os resultados irão produzir informações estratégicas que ajudarão na elaboração de políticas públicas para a promoção de um envelhecimento ativo e saudável. “A pesquisa vai permitir que o município de Manaus elabore políticas públicas que estejam focadas na real necessidade das pessoas idosas, melhorando a qualidade da atenção à saúde para as pessoas mais velhas”, destacou Homero de Miranda Leão Neto.

Durante visitas domiciliares nos bairros selecionados, os pesquisadores irão verificar as condições de saúde física e mental da população brasileira com idade igual ou superior a 50 anos, examinar o perfil do uso de serviços de saúde, o nível de bem-estar econômico, social e psicológico, e as formas de contribuição dessa população para a família e a sociedade.

“É importante que a população esteja atenta para receber em casa o pesquisador da Fiocruz, que estará devidamente identificado e treinado para aplicar o questionário. Serão levantadas informações sobre peso e altura, saúde, alimentação, como a pessoa utiliza seu tempo, se é sedentária ou não, enfim, abordará a pessoa de forma integral”, informou a chefe do Núcleo de Saúde do Idoso da Semsa, enfermeira Maria Eliny Ribeiro da Rocha.

Se durante as visitas domiciliares, os pesquisadores identificarem que a pessoa entrevistada apresenta alguma alteração em sua saúde, será feito o encaminhamento para o atendimento médico. “As Unidades de Saúde dos bairros onde será realizada a pesquisa já estão informadas e preparadas para atender essa demanda em caso de necessidade”, destaca a enfermeira.

O período de encerramento da pesquisa dependerá do andamento do trabalho de campo.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505