24/08/2015 20h01 - Atualizado em 24/08/2015 20h01

Praias de nudismo na mira das autoridades russas

“Suas festas acabam muitas vezes em brigas, bebedeira ou sexo em público”, disse a deputada Lyudmila Stebenkova
Foto: Yuri Kadobnov/AFP
Foto: Yuri Kadobnov/AFP

O conservadorismo cada vez mais acentuado na Rússia tem um novo alvo: autoridades do país estudam proibir a presença de banhistas nus em uma das mais populares praias de nudismo de Moscou, localizada dentro do parque Serebryany Bor e frequentada por naturistas há quase trinta anos.

“Essas pessoas [nudistas] são depravadas. Não podemos encorajar a imoralidade”, disse a deputada Lyudmila Stebenkova ao jornal The Moscow Times. “Pessoas nuas ocuparam as orlas de Strogino [bairro de Moscou]. Suas festas acabam muitas vezes em brigas, bebedeira ou sexo em público. Mas a polícia não pode acabar com essa orgia porque não existem leis que regulam o nudismo”, escreveu Lyudmila em seu blog, ao lançar a campanha contra as praias de nudismo.

Amparados em valores conservadores, autoridades locais seguem banindo qualquer coisa que acreditam não fazer parte da cultura russa, de propaganda gay a cenas eróticas nos clássicos da literatura do país. Em maio, uma praia de nudismo em um rio nas proximidades de São Petersburgo, que recebia naturistas desde a década de 60, foi fechada por ser considerada prejudicial à moral pública.

“Devemos proteger nossas crianças de velhos pervertidos peludos nus”, disse à época o deputado conservador Vitaly Milonov, conhecido por seus fervorosos comentários anti-gay, a uma rádio local.

Sergei Mityushin, presidente de uma associação de naturistas de Moscou, admitiu ao Moscow Times que a praia de Serebryany Bor não é ideal para a prática do nudismo. “Há muitas pessoas caminhando por lá – idosas, famílias com crianças – e nem todos querem ver banhistas nus. Praias de nudismo deveriam ser cercadas e vigiadas”.

Mityushin afirma que os nudistas aceitam frequentar outra praia, mas lembra que as autoridades chegaram a reservar aos naturistas uma praia em área cercada próximo dali nos anos 90, mas o local estava cheio de lixo e materiais de construção. Segundo ele, apenas as praias tradicionais recebem os cuidados necessários, como banheiros e coletores de lixo.

Por outro lado, as autoridades russas parecem não estar abertas ao diálogo. “Não há nada para ser discutido. Eu acho que praias como estas não deveriam existir”, disse a deputada Lyudmila Stebenkova ao Moscow Times.

Fonte: Veja.com

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505