18/08/2015 14h02 - Atualizado em 18/08/2015 14h02

Semsa forma protagonistas juvenis para multiplicar a promoção de saúde na comunidade

O projeto iniciou no mês de abril com a participação de 20 adolescentes.
Foto: José Nildo
Foto: José Nildo

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) realizou nesta terça-feira, 18, a solenidade de formatura de adolescentes que participaram da primeira turma do projeto “Faça Acontecer – protagonismo juvenil em saúde sexual e reprodutiva”. A cerimônia aconteceu no auditório da Escola Municipal Padre Puga, rua José Monteiro, s/n, bairro Japiim, zona Sul.

O projeto começou no mês de abril envolvendo um grupo de 20 adolescentes na faixa-etária de 14 a 19 anos, participantes das ações de Saúde do Adolescente na Unidade Básica de Saúde (UBS) Lourenço Borghi, que atende moradores do bairro Japiinlândia, zona Sul.

A chefe do Núcleo de Saúde da Criança e do Adolescente da Semsa, Ivone Amazonas, explicou que projeto foi idealizado para formar protagonistas juvenis que possam atuar como multiplicadores de informação, contribuindo para a promoção da saúde sexual e reprodutiva de adolescentes, e buscando a redução da vulnerabilidade às doenças sexualmente transmissíveis e à gravidez precoce.

“A proposta da Semsa é expandir o projeto para outras UBSs, principalmente aquelas que já estão inseridas no Programa Saúde na Escola (PSE), mesmo porque trabalhar as questões de saúde junto à educação traz grandes benefícios para a população, principalmente no que se refere à prevenção aos problemas de saúde pública”, explicou Ivone Amazonas.

Durante a execução do projeto, os adolescentes participaram de uma série de oficinas abordando os temas: Adolescência e Protagonismo; Gênero; Sexualidade; Saúde Sexual e Reprodutiva; Relações sociais e sexualidade; Tomada de decisões; Contracepção e Gravidez; Doenças Sexualmente Transmissíveis e Prevenção; Direitos Sexuais e Reprodutivos; e Rótulos e solidariedade.

As oficinas foram realizadas utilizando uma metodologia dinâmica, com espaço para o estímulo à reflexão sobre cada um dos temas e aplicação pessoal dos conhecimentos adquiridos. Os temas abordados foram selecionados a partir das propostas do Ministério da Saúde, levando em consideração as especificidades do público adolescente.

De acordo com a coordenadora do projeto, assistente social Rejeane Barros, a formação de uma primeira turma de multiplicadores foi um desafio aceito pela direção da UBS Lourenço Borghi, levando em consideração o número crescente de jovens e adolescentes infectados pelo vírus HIV e outras Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), além da gravidez precoce, tema de preocupação na área da saúde pública.

“No mês de setembro haverá a primeira reunião de planejamento desse grupo de adolescentes como protagonistas juvenis. Eles irão planejar e viabilizar as intervenções junto aos outros adolescentes, dentro da comunidade e na própria escola. A partir de agora será a criatividade deles que irá comandar as ações”, afirmou a assistente social.

Para o estudante Pedro Henrique Lima da Costa, 15 anos, a experiência de participar das oficinas foi importante pela obtenção de novas informações sobre saúde sexual e reprodutiva. “Muitos jovens estão adquirindo DSTs e meninas engravidando inesperadamente por falta de precaução. Obtivemos, durante as oficinas, um conhecimento que vai permitir que possamos cuidar da nossa própria saúde e poderemos ajudar outras pessoas”, garantiu o estudante.

Após a cerimônia de formatura dos adolescentes, o projeto entrará em fase de planejamento das ações que deverão ser conduzidas pelo grupo na própria escola ou na comunidade, incluindo a formação de novos protagonistas a partir de 2016.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505