14/09/2015 16h56 - Atualizado em 14/09/2015 17h10

Países do Mercosul comprarão medicamentos juntos para baixar preços

Primeira compra será de medicamentos contra hepatite C e de Aids.
Foto: Divulgação/AJP
Foto: Divulgação/AJP

Está certa a possibilidade de os países integrantes do Mercosul comprarem juntos remédios estratégicos. O acordo havia sido assinado há alguns meses, mas foi firmado na última sexta-feira, 11 de setembro. Ele prevê também a criação de um banco de preços de medicamentos para que os países tenham maior poder de negociação – saibam os valores negociados com os outros governos.

O objetivo é comprar os remédios com preços mais em conta, pois serão adquiridos em grande quantidade. Isso porque os preços cobrados pelos laboratórios fabricantes chegam a variar em até cinco vezes, de acordo com a escala comprada.

A primeira compra será de medicamentos para o tratamento de hepatite C e de aids, e está programada para outubro.

Como funcionará
São signatários deste acordo: Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Venezuela, Chile, Equador e o Suriname. Cada um desses países definiram os medicamentos prioritários para compra.

O banco de preços do Mercosul terá a função de reunir detalhes sobre as compras de medicamentos e equipamentos feitas pelos ministérios da Saúde da América do Sul. Esse sistema terá dados como preços das últimas compras, quantitativos, fornecedores, entre outros. O banco de preços do governo brasileiro servirá de modelo para a base de dados regional.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505