10/09/2015 22h49 - Atualizado em 10/09/2015 22h52

Vacina contra o HPV está disponível em 171 Unidades de Saúde de Manaus

Meninas de 9 a 11 anos devem ir aos postos receber a segunda dose da vacina.
Fotos: José Nildo
Fotos: José Nildo

Meninas com idades entre nove e 11 anos que já receberam a primeira dose da vacina contra o papilomavírus humano (HPV), no primeiro semestre deste ano, devem procurar uma das 171 Unidades Básicas de Saúde de Manaus para receber a segunda dose necessária para garantir a imunização contra o HPV, vírus que pode causar câncer de colo do útero. A Prefeitura de Manaus está planejando o dia D da vacinação, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), em parceria com as secretarias de Educação do Município (Semed) e do Estado (Seduc).

Segundo o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto, 19.481 meninas com idades entre nove e 11 anos, já receberam a primeira dose da vacina no primeiro semestre. “Os pais devem estar atentos para levar suas filhas para tomar a segunda dose, do contrário, a primeira dose da vacina não garantirá o efeito desejado. Aquelas que não tomaram a primeira dose também podem buscar as unidades de saúde para a imunização. Estamos em parceria com a Seduc e Semed em planejamento para distribuir mais pontos focais em toda a cidade, para que nenhuma menina fique sem se proteger do HPV”, enfatizou o secretário.

As doses da vacina estão disponíveis nas unidades de Saúde com sala de vacinação no horário de funcionamento das 8h às 17h. A imunização contra HPV também estará disponível nos Serviços de Acompanhamento Especializado em HIV/Aids (SAEs) para mulheres com idade entre nove a 26 anos vivendo com HIV, mediante apresentação da prescrição médica que devem tomar as duas doses num intervalo de dois meses e de seis meses em relação à primeira aplicação.

Para as meninas entre nove e 11 anos e para o público feminino indígena com idades entre nove e 13 anos, o esquema vacinal abrange doses aplicadas em um intervalo de seis meses (segunda) e de 60 meses (terceira) com relação a primeira tomada.

Forma de contágio

O papilomavírus humano (HPV) é um vírus contagioso que pode ser transmitido com uma única exposição, por meio de contato direto com a pele ou mucosa infectada. Sua principal forma de transmissão pode ocorrer via relação sexual, mas também há contágio entre mãe e bebê durante a gravidez ou o parto, chamada transmissão vertical.

Inicialmente assintomática, a infecção por HPV pode evoluir para lesões de pele e mucosas, em alguns casos também ocasiona o surgimento de verrugas genitais. Quando não tratada corretamente, essas lesões podem evoluir para um quadro de câncer genital, como o câncer de colo de útero, cuja doença tem como principais sintomas dores, corrimento ou sangramento vaginal.

A vacina contra o HPV já faz parte do Calendário Nacional de Vacinação e está disponíveis todos os dias nas unidades de saúde. No momento da vacina, não é obrigatório o acompanhamento de pais ou responsáveis, nem assinatura de termos de autorização ou recusa. A menina deverá apresentar apenas a sua Caderneta da Adolescente ou o próprio cartão de vacina.

O secretário Homero de Miranda Leão Neto explicou que as meninas que participaram das campanhas em 2013 e 2014 e não receberam todas as doses da vacina, também poderão procurar as Unidades de Saúde, mas devem comprovar a vacinação anterior apresentando o cartão de vacina.

A Prefeitura de Manaus e o Governo do Estado iniciaram a oferta da vacina contra HPV em 2013, considerando a alta incidência e mortalidade por câncer de colo de útero na região Norte, sendo pioneiros em todo o Brasil. Mesmo com uma alta incidência, é um tipo de câncer que apresenta forte potencial de prevenção e cura quando diagnosticado precocemente por meio de consultas regulares ao ginecologista e pela realização regular dos exames recomendados.

“A vacinação para a prevenção do HPV é mais uma das estratégias que está sendo disponibilizada para a população na prevenção da doença e é importante que todas as meninas completem o esquema vacinal para que a imunização seja garantida”, destacou o secretário.

Na vacinação contra o HPV de 2013, 9,6 mil meninas não completaram o esquema vacinal. Em 2014, um total de 6,7 mil meninas não receberam a segunda dose da vacina contra o HPV.

O esclarecimento de dúvidas pode ser feito pelo e-mail [email protected]

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505