14/10/2015 11h25 - Atualizado em 14/10/2015 11h25

Escolas estão à mercê da própria sorte, denuncia vereador

Aproximadamente 150 escolas já foram assaltadas este ano.
Foto: Tiago Correa/CMM
Foto: Tiago Correa/CMM

Manaus está entre as capitais brasileiras que sofre com a falta de segurança e violência nas escolas. Em torno de 150 escolas foram assaltadas somente neste ano, na cidade, conforme dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado. A questão foi trazida à discussão pelo vereador professor Bibiano (PT), na sessão plenária da Câmara Municipal de Manaus (CMM), nesta terça-feira (13).

De acordo com o parlamentar, esse problema é ratificado pelos dados divulgados no 9º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado recentemente pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). A pesquisa abrange diversas vertentes da violência, desde a questão de roubos e furtos; agressão verbal e física; porte de arma; além do controle de entrada de pessoas estranhas na escola.

Para Bibiano, no caso da capital amazonense, a deficiência do sistema de vigilância de equipamentos, intitulado Centro de Operações em Segurança Escolar (Cose), é uma das questões a serem resolvidas com a máxima urgência. O sistema deveria oferecer cerca elétrica, sensor presencial, alarme, monitoramento de câmeras durante 24 horas, interligado ao Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops), contudo, grande parte do serviço não é contemplado, contribuindo para o aumento de ocorrências de violência nas escolas.

Ele citou o caso da Escola Municipal Presidente João Goulart, localizada na zona Norte, que foi alvo de assalto nesta segunda-feira (12).Foram furtados do local caixa de som amplificada, aparelhos de DVD e microfone sem fio da unidade de ensino. “Neste caso e em muitos outros, o Cose não funcionou. A ação dos criminosos ocorreu sem que tenha sido disparada nenhuma sirene”, disse. Segundo Bibiano, o absurdo é que a Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) renovou o contrato de vigilância eletrônica nas escolas pelo valor de R$ 63 milhões com a empresa IIN Tecnologia Ltda., sem que o problema seja resolvido. “As escolas estão à mercê da própria sorte”, disparou.

Durante discurso, o parlamentar destacou que apresentou requerimento, o qual foi aprovado pelo plenário, para a realização de audiência pública com o fim de debater sobre a problemática na violência nas escolas no seio da Comissão de Educação da Câmara. “Estamos aguardando a definição da data e espero que isso seja feito com urgência, uma vez que se trata de um problema que vem se agravando com o passar do tempo”, disse Bibiano.

Na semana passada, o vereador teve Projeto de Lei (PL), que institui o Dia Municipal de Segurança nas Escolas deliberado no plenário da Casa e encaminhado para apreciação da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) da CMM. “A Câmara não pode se furtar da responsabilidade de discutir e encontrar soluções para esse problema”, acrescentou o vereador.

Indicadores da Secretaria de Segurança Pública dão conta que, no ano passado, foram registrados 405 roubos e 914 furtos a unidades de ensino em Manaus.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505