29/10/2015 13h22 - Atualizado em 30/10/2015 11h31

Governo entrega a beneficiados equipamento que facilita comunicação de deficientes auditivos

O equipamento foi desenvolvido pela UEA.
Foto: Valdo Leão/Secom
Foto: Valdo Leão/Secom

Um aplicativo de celular e uma braçadeira que capta movimentos musculares estão facilitando a comunicação de pessoas com deficiência auditiva no Amazonas. Tecnologia pioneira na área desenvolvida pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA), o projeto “Giullia – Mãos que Falam” começa a chegar aos primeiros beneficiados. Nesta quinta-feira, 29 de outubro, o governador José Melo fez a entrega oficial dos primeiros kits do equipamento, que vão contemplar 100 pessoas surdas do cadastro da Secretaria de Estado da Pessoa com Deficiência (Seped).

A nova tecnologia é baseada em inteligência artificial e possibilita a comunicação entre surdos e pessoas que não sabem a Língua Brasileira de Sinais (Libras). Criado no Laboratório de Robótica e Automação da UEA, o projeto de tecnologia assistiva está sendo patenteado. Entusiasta da inovação e articuladora da ação, a primeira-dama do Estado, Edilene Gomes de Oliveira, acompanhou a solenidade onde foi feita a demonstração e entrega dos primeiros kits do equipamento.

O cadastro de pessoas surdas ainda continua disponível na Seped. A expectativa é que o número de beneficiados seja ampliado e, em uma próxima fase, a proposta é levar para escolas especializadas no atendimento de crianças surdas. Os primeiros aparelhos foram viabilizados pelo Governo do Estado através de apoio da empresa Recofarma, no valor de R$ 800 mil. De acordo com o governador, outras fábricas estão sendo procuradas para participar. “É um equipamento fantástico e queremos que empresas abracem a ideia e produzam. É um projeto que nos dá muito orgulho”, frisou José Melo.

Ao elogiar a inovação tecnológica nascida nos laboratórios de pesquisa da UEA, o governador destacou a colaboração das empresas do Polo Industrial de Manaus no apoio aos projetos da Universidade. Atualmente, com financiamento de seis fábricas, 12 projetos de pesquisa são tocados na UEA. José Melo defende crescimento do patrocínio, com o aporte dos recursos de pesquisa e desenvolvimento (P&D), e disse que o objetivo do Governo é estreitar a relação com as empresas para que as pesquisas do Estado atendam a melhorias em processos e produtos de interesse do setor produtivo.

“Além de tecnologia social, a ideia é termos um aporte para o Distrito Industrial desenvolvendo todos os procedimentos capazes de facilitar e reduzir custos da produção das fábricas, tendo aporte de recursos e ajudando as empresas a colocarem seus produtos no mercado com preços mais competitivos”, afirmou o governador.

O Projeto Giullia foi idealizado pelo professor da UEA, Manuel Cardoso, e consiste no desenvolvimento de uma braçadeira com sensor que traduz em som o significado de movimentos de quem está utilizando o aparelho. A braçadeira é posicionada logo abaixo do cotovelo, onde são captados os sinais biológicos dos músculos do antebraço e da mão. O sensor capta esses sinais e os transmite, via “bluetooth”, para um aparelho celular.

De acordo com o pesquisador Manuel Cardoso, a ideia é que, em breve, a tecnologia esteja disponível no mercado de consumo. As negociações com empresas fabricantes de celulares já começaram. “O Governo do Estado de São Paulo se interessou para adquirir essa tecnologia para distribuição. E estamos buscando parceiros, um fabricante de celulares, com o qual a gente aportaria o uso da patente para que eles pudessem produzir em escalas maiores para fornecer para esses Estados. Dessa forma estaríamos recebendo os recursos oriundos das patentes. As conversas já começaram com uma empresa, e temos com mais duas. A ideia é não limitar a nenhuma empresa para termos uma saudável concorrência”, afirmou.

A Seped fará o acompanhamento e monitoramento do processo de adaptação da tecnologia e a interlocução entre os usuários surdos e a Fundação Centro de Análise, Pesquisa e Inovação Tecnológica (Fucapi), parceira no projeto, que oferecerá o suporte ao kit Giulia (braçadeira e celular Android). O suporte consiste no encaminhamento, diretamente ao fabricante, de kit’s que venham necessitar de reparos técnicos, além de treinamento necessário para ao usuário sobre o projeto Giulia.

Interessados em ser atendidos pelo projeto ainda podem fazer o cadastro na Seped. O registro é feito na sede da Secretaria, localizada na avenida Mário Ypiranga, no bairro Adrianópolis, zona centro-suel. Na Seped, o atendimento é feito na Central de Intérprete de Libras, no horário das 8h às 16h.

Participaram da cerimônia de entrega dos kits, o reitor em exercício da UEA, Mário Augusto de Figueiredo, o coordenador do Grupo de Robótica e Automação da Universidade, Marivan Gomes, e a secretária de Estado da Seped, Vânia Suely de Melo e Silva, além dos familiares dos surdos beneficiados e representantes das Secretarias de Estado da Saúde (Susam), da Educação (Seduc), de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) e do Fundo de Promoção Social (FPS).

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505