16/10/2015 15h42 - Atualizado em 18/10/2015 16h41

Prefeito entra nas negociações para manter o funcionamento da Fundação Nokia em Manaus

Nesta sexta-feira, Arthur se reuniu com membros da instituição.
Foto: Alex Pazuello/Semcom
Foto: Alex Pazuello/Semcom

A Prefeitura de Manaus entra nas negociações para salvar o futuro da Fundação Nokia. Nesta sexta-feira, 16, o prefeito Arthur Virgílio Neto se reuniu com membros da instituição para traçar estratégias de como manter o funcionamento da escola técnica que beneficia alunos oriundos da rede pública e privada.

O encontro aconteceu na própria Fundação Nokia, localizada no Distrito Industrial. Atualmente a instituição, que é mantida pela Microsoft, que comprou a fábrica da Nokia, está com seu processo seletivo para o Ensino Médio Técnico devido à saída da Microsoft do Polo Industrial de Manaus (PIM).

Na reunião, o prefeito assumiu o compromisso de intermediar acordos junto a outros órgãos do poder público e buscar novos investidores para a Fundação, que passaria a ter um modelo de governança independente e compartilhado. ”Entramos nessa luta com força total, sensibilizando a Microsoft nesse processo de transição e buscando uma nova empresa que seja mantenedora da Fundação de maneira compartilhada com outros órgãos”, explicou.

Ainda segundo prefeito, uma nova reunião com a diretoria da escola, o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE/AM) e representantes da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) está marcada para o próximo dia 29, às 9h, na sede da Suframa. Na ocasião, serão apresentadas as propostas que podem beneficiar a Fundação.

“O principal ponto é rediscutir o modelo de governança privado, substituindo por um modelo híbrido, que possibilite o investimento de múltiplas entidades”, destacou. “Queremos chegar lá com um acordo muito claro com a prefeitura e espero que com o Governo do Estado para não deixarmos morrer essa instituição de qualidade, fincada no coração da capital da Amazônia”, concluiu Arthur Neto.

Além de garantir a continuidade dos serviços oferecidos pela Fundação, a prioridade é encontrar uma alternativa para reabrir o processo seletivo para novos alunos em 2016. “Nós estamos trabalhando em conjunto com a Microsoft e agora mais especialmente com a recém-formada Associação Amigos da Fundação, composta por ex-alunos e todos aqueles que tenham estima pela causa de educação no Estado. Nossa preocupação é dar uma resposta ao clamor da sociedade e poder realizar a 30ª edição do processo seletivo o mais rápido possível, mantendo o ciclo do projeto social”, defendeu a diretora-executiva da Fundação Nokia, Fabiola Bazi.

“Sabemos que muitos pais estão se sentindo angustiados porque seus filhos têm estudado há dois anos para ingressar na Fundação em busca de uma possibilidade de mudar o seu futuro, uma vez que os alunos já saem preparados para o mercado de trabalho. Nós acreditamos que é possível fazer a transformação social por meio da educação, desde que seja uma educação de qualidade”, completou o presidente da Associação Amigos da Fundação, Fredson Encarnação.

A Fundação Nokia existe há 30 anos e oferece os cursos de Eletrônica, Informática, Telecomunicações e Mecatrônica em período integral. A média de candidatos por processo seletivo é de 3.500 concorrendo a 160 vagas, sendo 70% destinadas aos alunos vindos da rede pública.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505