18/11/2015 15h32 - Atualizado em 18/11/2015 15h35

Futebol amazonense quer apoio do PIM para voltar a ser forte

Essa é uma das propostas apresentadas em audiência pública.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A volta do Vale Lazer, o patrocínio das empresas do Polo Industrial de Manaus por meio da Suframa, o resgate da credibilidade dos dirigentes, apoio governamental, a criação de um grupamento especializado da PM para atuar na segurança dos torcedores nos estádios, a garantia de ambulância nos jogos dos campeonatos masculino e feminino, o fim da cobrança de taxas para uso dos estádios. Essas e outras propostas foram apresentadas audiência pública que debateu o cenário atual e as perspectivas para o futebol amazonense nos próximos anos. A atividade aconteceu na manhã desta quarta-feira, 18 de novembro, no auditório Cônego Azevedo, na Assembleia Legislativa do Amazonas.

O encontro foi uma propositura da deputada Alessandra Campêlo (PCdoB) e do deputado Augusto Ferraz (DEM) por meio da Comissão de Esporte e Lazer da Assembleia. Dirigentes, treinadores, torcedores, a Associação de Clubes (APCEA), árbitros, a OAB e a FAF estiveram presentes. As secretarias que cuidam da gestão do Esporte no Estado e no Município (Sejel e Semjel), no entanto, não enviaram representantes ao debate.

Para a presidente do Manaus, Patrícia Serudo, o principal desafio é resgatar a credibilidade dos dirigentes. “A dificuldade macro do nosso futebol é a falta de credibilidade que os gestores do futebol como um todo têm perante a sociedade. Quanto eu falo em gestores falo dos dirigentes, presidentes de clubes, federação. Isso acarreta uma série de problemas, tais como ausência de patrocínio, falta de público nos estádios, divulgação espontânea. Essa desconfiança acontece não é de hoje e vem se agravando com o tempo, atingindo até mesmo os dirigentes jovens recém-chegados ao futebol e que já são estereotipados como maus gestores antes mesmo de iniciarem qualquer trabalho”, comentou Serudo.

O presidente da Associação dos Clubes Profissionais do Amazonas (APCEA), Cláudio Nobre, informou que a entidade está se organizando para buscar apoio junto à iniciativa privada. Apesar disso, ele reafirmou a necessidade de ajuda governamental e repudiou o pagamento de taxas para uso dos estádios construídos e mantidos com dinheiro público.

“A recuperação do futebol e do esporte amazonense só será possível com a ajuda do Governo, nas instâncias estadual e municipal. Esse ano o campeonato acabou e os recursos para ajudar nos clubes no início do ano só chegaram após o término da competição. Outra coisa que não aceitamos é pagar taxas para usar os estádios durante os campeonatos”, afirmou o dirigente.

A deputada Alessandra e o deputado Ferraz se comprometeram em agendar uma reunião com a superintendente da Suframa, Rebecca Garcia, no sentido de articular junto às empresas do Polo Industrial de Manaus uma forma de patrocinar os clubes no próximo ano.

A deputada também defendeu a necessidade de ambulância nos jogos do Feminino, a indicação ao Governo da volta do Vale Futebol que funcionou no final dos anos 90 e início dos anos 2000, além de patrocínio ao Campeonato Amazonense Feminino.

Alessandra e a Comissão de Esporte e Lazer vão cobrar por meio de requerimento a prestação de contas da FAF e sugerir a criação de um Departamento de Futebol Feminino na entidade. Outra ideia que veio dos torcedores e virou consenso é a criação do Grupamento Especial de Policiamento em Estádios, que já funciona em outros Estados e pode ser usado como modelo pela PM do Amazonas.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505