09/12/2015 13h55 - Atualizado em 9/12/2015 13h55

Após morte de PM, Cabo Maciel critica entidades de Direitos Humanos

Policial foi morto a facadas no último sábado, em Parintins.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O deputado Cabo Maciel (PR) lamentou, no seu discurso desta quarta-feira (9) na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), a morte do sargento da Polícia Militar, Fernando Paes Júnior, 42, morto a facadas no último sábado (5) na cidade de Parintins (distante 475 quilômetros de Manaus). O parlamentar ainda criticou a atuação das entidades de Direitos Humanos no Estado.

“No último sábado perdemos um servidor da Segurança Pública, que tinha uma esposa, e três filhos, sendo dois menores de idade. Alguém que comandava a Força Tática em Parintins. Fernando Paes Junior era alguém respeitadíssimo dentro da corporação. Alguém que passou 22 anos da sua vida defendendo o povo Amazonas”, disse.

Cabo Maciel informou que o policial prendeu por duas vezes o traficante Arlesson de Souza Alfaia, 25, conhecido por ‘Peninha’, autor da facada que causou a morte do PM. Segundo o parlamentar ‘Peninha’ já havia cometido outros homicídios no município desde que era menor de idade, e que vinha fazendo ameaças de morte ao policial.

Da tribuna da Casa, o deputado criticou as entidades defensoras dos Direitos Humanos no Amazonas que, segundo ele, se manifesta em favor dos bandidos e não se manifesta na morte de policiais. “Onde está a representação dos Direitos Humanos do Estado do Amazonas? Porque eu não ouvi nenhuma mensagem de apoio ou de solidariedade a viúva e aos filhos desse servidor. Não vi nenhum movimento nesse Estado se manifestar em solidariedade a essa família. Parece-me que policial é bicho, não é cidadão, não é pai de família”, disse o deputado.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505