30/12/2015 15h34 - Atualizado em 30/12/2015 15h34

Governo paga 72,4 bilhões de reais por pedaladas fiscais

As chamadas pedaladas foram usadas como motivo para abertura do processo de impeachment .
Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino
Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino

O Ministério da Fazenda informou nesta quarta-feira que 72,4 bilhões de reais foram pagos ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), ao Banco do Brasil e ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES).

O valor corresponde ao pagamento das chamadas “pedaladas fiscais” — o atraso de repasses aos bancos públicos para a cobertura de benefícios sociais, como o Bolsa Família.

De acordo com a Fazenda, cerca de 56 bilhões de reais estão sendo quitados nesta última semana do ano. O restante já foi pago de janeiro a novembro. Todos os recursos têm como origem a conta única do Tesouro Nacional.

Desde o início da semana, o governo dava sinais de que não fecharia o ano sem o pagamento das “obrigações” com os bancos públicos. Com esse ato, a expectativa do Planalto é que o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff seja esvaziado, uma vez que as “pedaladas” são um dos principais argumentos do pedido de afastamento da presidente.

O presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) disse, ontem, que os pagamentos não interferem no processo, que voltará a ser discutido em fevereiro de 2016, logo após o fim do recesso parlamentar.

Em outubro deste ano, o Tribunal de Contas da União (TCU) rejeitou, por unanimidade, as contas do primeiro mandato de Dilma Rousseff por conta das “pedaladas” feitas até 2014. Na ocasião, o relator do processo, Augusto Nardes, disse que “a falta de contigenciamento adequado afetou não só o fim do ano de 2014 como todo o ano de 2015”. O parecer deve ser votado no próximo ano no Congresso.

Fonte: Exame.com

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505