13/01/2016 08h35 - Atualizado em 13/01/2016 08h35

Capacitação de profissionais para o combate ao Aedes aegypti vai até quinta-feira

A capacitação deverá envolver 1.080 profissionais.
Foto: Assessoria/Semsa
Foto: Assessoria/Semsa

A Prefeitura de Manaus, em parceria com o Governo do Amazonas, iniciou nesta terça-feira, dia 12, a capacitação de profissionais da Atenção Primária à Saúde em “Resposta, Vigilância e Atenção relacionada ao zika vírus”, no auditório da Fundação de Medicina Tropical, no bairro Dom Pedro, zona Oeste. A capacitação, que envolverá 1.080 profissionais, entre médicos e enfermeiros que atuam nas Unidades de Saúde, e bioquímicos que integram as equipes da rede laboratorial, segue até quinta-feira, 14.

A subsecretária municipal de Gestão da Saúde, Lubélia Sá Freire, explica que a capacitação foi organizada com o objetivo de repassar aos trabalhadores informações atualizadas sobre o cenário epidemiológico no município de Manaus, o manejo clínico de casos suspeitos de zika vírus, as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti e de vigilância laboratorial.

“O importante é que todos os profissionais estejam informados sobre como ocorre o processo de trabalho de combate ao Aedes aegypti, sobre o papel de cada um em relação aos casos suspeitos de zika, dengue e chikunghunya. O foco maior da capacitação é em relação ao zika vírus, principalmente no que se refere ao pré-natal de mulheres com suspeita da doença”, destaca a subsecretária.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) vem reforçando o combate ao mosquito Aedes aegypti desde o ano passando com o objetivo de evitar que a infecção pelo zika vírus chegue às grávidas, o que poderia causar a microcefalia nos bebês, uma malformação congênita em que o cérebro da criança não se desenvolve de maneira adequada.

Além das visitas de casa em casa para orientação dos moradores, a Semsa tem reforçado ações como a notificação de casos suspeitos com investigação e bloqueio químico (Fumacê) em uma área de 300 metros nos locais onde houve registro de casos suspeitos, e verificando e eliminando focos do mosquito.

Também houve a implantação de um fluxograma de atendimento às gestantes com suspeita de Zika Vírus, onde as mulheres que forem atendidas nas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs) ou em Unidades Básicas de Saúde (UBSs), e que apresentarem sintomas para a doença, serão encaminhadas de forma imediata para uma das 15 unidades de referência para atendimento com um médico obstetra.

Brigadas

A Semsa também iniciou a mobilização e sensibilização de instituições públicas e privadas para a criação de brigadas que irão realizar a vistoria semanal na identificação e eliminação de criadouros do mosquito. O objetivo é formar multiplicadores de diversas instituições para a implantação das práticas de vistorias contínuas, mantendo os ambientes de trabalho livres do mosquito. “Cada instituição poderá indicar um grupo de trabalhadores que serão treinados para integrar a brigada, principalmente na aplicação do check-list Dez Minutos Contra a Dengue, que auxilia na identificação e eliminação de possíveis locais de proliferação do mosquito”, informa Lubélia Sá Freire.

O treinamento para a formação de brigadas vai ser feito pelo Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (Ciocs Manaus), que a partir desta quarta-feira, 13, irá oferecer duas capacitações por dia para brigadas, podendo aumentar esse número de acordo com a demanda.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505