06/01/2016 11h13 - Atualizado em 6/01/2016 11h15

Defesa Civil redobra a atenção em áreas de risco nesse período de chuvas

Órgão monitora o volume de chuva com auxílio dos pluviômetros.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Com a chegada do período de chuvas aumentam o número de ocorrências registradas pela Defesa Civil Municipal. Os chamados mais registrados nessa época são de: alagamentos em áreas próximas a igarapés, infiltração e deslizamentos de barrancos. Para evitar desastres nessas localidades, o orgão monitora o volume de chuva com auxílio dos pluviômetros, equipamentos instalados em todas as zonas da cidade, que possibilitam o acompanhamento da chuva por hora.

Além dos pluviômetros, o órgão também conta com o apoio dos Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil, NUPDECS, formado por moradores de áreas de risco que foram treinados e capacitados para identificar situações vulneráveis que podem causar desastres, e até auxiliar na evacuação de prédios. Os voluntários dos Nupdecs têm um canal de comunicação direto com a Defesa Civil e informam os acontecimentos da área, principalmente em períodos de chuva.

“Contamos com a parceria dos Nupdecs para monitorar a volumetria e saber o que estar acontecendo nessas áreas, isso ajuda na orientação e até evacuação, caso necessário”, explicou o diretor operacional da Defesa Civil, Engenheiro Cláudio Belém.

Belém esclareceu que o Sistema de Proteção da Amazônia – Sipam envia boletins diários com a previsão meteorológica, que norteiam ações do plano de contingência. E nesse período de inverno, realiza a previsão trimestral de chuvas na capital.

Esse ano, o Sipam informou que as chuvas que em janeiro tem média de 286mm, fevereiro de 289 e março de 313, ficarão abaixo do esperado, mas, com pancadas de chuvas frequentes. Com base nessas informações, o órgão municipal já traçou o plano de contingenciamento.

“Com chuvas abaixo da média, diminui os riscos já que os locais não estão vulneráveis devido ao período extenso de altas temperaturas, ainda assim, a nossa preocupação é de possíveis deslizamentos de terra, nesses locais a atenção é redobrada”, segundo Cláudio Belém.

Além do efetivo da Defesa Civil, o órgão também conta com o apoio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) e Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp) que são acionadas em ações de emergência, após verificado o nível de gravidade da situação.

A Defesa Civil orienta que moradores de áreas de risco, que identifiquem perigo, a sair de casa para um local seguro e acionar o órgão. Uma vez feita à ocorrência, os agentes irão até o local para verificar as condições da edificação ou terreno.

O número de emergência da Defesa Civil de Manaus é o 199.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505