08/01/2016 13h40 - Atualizado em 8/01/2016 13h41

Manaus terá unidade móvel para teste de HIV

Haverá também orientações sobre DSTs.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) agora dispõe de uma Unidade Móvel de Testagem de HIV por fluido oral e da gota de sangue, que irá percorrer pontos estratégicos, como de encontro de jovens, em horários diferenciados, à noite e fins de semana para a realização dos testes rápidos, distribuição de preservativos e orientar sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs). A finalidade é diminuir os casos de Aids até 2020, de acordo com o recomendado na “Declaração de Paris”, para alcançar o fim da epidemia em todo o mundo.

A “Declaração de Paris” foi assinada em dezembro do ano passado durante solenidade na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), pelo prefeito Arthur Neto, confirmando o empenho do município em acelerar a resposta para alcançar as metas 90-90-90 do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre o HIV/AIDS (UNAIDS) que almejam que 90% das pessoas vivendo com HIV/AIDS conheçam seu diagnóstico; que 90% das pessoas que sabem de sua soropositividade recebam tratamento antirretroviral; e que 90% das pessoas que estão em tratamento tenham sua carga viral suprimida, mantendo-se saudáveis e reduzindo o seu risco de transmissão do HIV.

Índices em Manaus

Em 2015, foram notificados em Manaus 1.403 casos,138 a menos que em 2014, o que aponta uma diminuição de 8,9%. Houve, porém, um aumento de 21,3% entre jovens de 15 a 19 anos, informou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto.

“Temos 89 Unidades Básicas de Saúde fazendo o teste rápido de HIV e vamos implantar esse ano também o exame nas unidades da Estratégia Saúde da Família, além de reforçar as orientações para evitar a doença. Tivemos uma diminuição em 62,5% no número de casos de Aids em crianças menores de cinco anos e aumentou 10,7% o número de casos em gestantes com HIV. Em 2015 foram realizados 59.447 testes para HIV e distribuídos quase seis milhões de preservativos masculinos, portanto a prevenção é a palavra de ordem”, enfatizou Homero.

Segundo o secretário, a utilização dos testes rápidos permite atender à crescente demanda pelo diagnóstico de agravos relevantes à saúde publica, visto que sua utilização aumenta a agilidade da resposta aos indivíduos e permite seu rápido encaminhamento para assistência médica e início de tratamento.
“O teste é feito em sigilo com a supervisão de um profissional de saúde treinado, e o resultado é dado apenas para o indivíduo que o realizou. Qualquer pessoa pode fazer o teste do HIV para identificar se está infectada com o vírus, mas a realização do exame é importante principalmente para grupos de risco”, ressaltou.

Capacitação para atendimento ao usuário

Na segunda quinzena deste mês de janeiro a Semsa começa a capacitação para atendimento a usuários que vivem com o HIV. A partir do dia 18, profissionais de saúde de quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS), uma em cada zona da cidade, irão iniciar o treinamento. “A expectativa é que, no primeiro semestre de 2016, tenhamos duas unidades básicas realizando esse atendimento”, explicou Homero.

Outra estratégia que terá continuidade é a parceria com Organizações Não Governamentais (ONGs) para oferta de teste rápido de detecção do HIV. Atualmente a ação é realizada junto a duas entidades. Uma é a Associação Garotos da Noite, que oferece a testagem, aos sábados, na sede da ONG. A outra é a Rede de Amizade e Solidariedade às Pessoas Vivendo com HIV/Aids, que oferece o exame em pontos de grande circulação como feiras.

Como é feito o teste da saliva do HIV

O teste da saliva do HIV é feito com um cotonete especial que é passado na gengiva e na bochecha do paciente para coletar uma amostra de líquido e células que será avaliada no teste. O resultado sai após cerca de 30 minutos, e este teste deve ser feito pelo menos cinco dias depois do comportamento de risco, que pode ser o contato íntimo sem camisinha ou uso de drogas injetáveis, por exemplo, e deve-se estar pelo menos há 30 minutos sem comer, beber, fumar e escovar os dentes, além de ser necessário retirar o batom, no caso das mulheres.

Como é feito o teste da gota de sangue do HIV

O teste do sangue do HIV é feito com uma gota de sangue através de uma picada no dedo do paciente, da mesma forma que é feito o teste de glicemia para diabéticos. Essa gota de sangue é colocada no aparelho do teste e após cerca de 20-30 minutos o resultado sai, sendo negativo quando apenas uma 1 linha vermelha surge no equipamento, e positivo quando aparecem 2 linhas vermelhas.

É importante lembrar que ambos os testes rápidos do HIV são confiáveis, tendo resultados com 99% de acerto. No entanto, nos casos em que o resultado do teste é positivo, deve-se fazer o exame de sangue convencional para confirmar a presença do HIV e encaminhar o paciente para os Centros de Tratamento Especializado, onde o tratamento é feito com o apoio de uma equipe composta por médico, psicólogo e assistente social.

Após o resultado, positivo ou negativo, o paciente recebe algum tipo de orientação?

Se a infecção for comprovada é feita a orientação necessária e encaminhamento para um serviço de saúde para o acompanhamento adequado. Em torno de 30% das pessoas infectadas pelo HIV não fazem um diagnóstico precoce, no tempo correto e são diagnosticadas já com baixa imunidade e muitas vezes com alguma doença oportunista.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505