19/01/2016 14h38 - Atualizado em 19/03/2016 13h02

Número de partos normais cresce na Maternidade Moura Tapajós

Índice superou a meta estabelecida para o ano, que era de 55%.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Sensibilização, conscientização e incentivo do corpo clínico da Maternidade Moura Tapajóz (MMT), na zona Oeste da cidade, resultou em um índice de 69% de partos normais, em dezembro do ano passado. Um número que superou a meta estabelecida para o ano, que era de 55%, e é resultado de diversas ações implementadas pela Prefeitura de Manaus.

Entre as diretrizes adotadas pela maternidade, que faz parte da estrutura da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), está a definição de protocolos a serem seguidos pelos ginecologistas-obstetras, utilização dos manuais do Ministério da Saúde e da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia, realização de cursos de atualização e aperfeiçoamento de todos os profissionais.

“Instituímos a obrigatoriedade da inclusão, no prontuário das pacientes, do Consentimento Livre e Informado e a abertura do Partograma, que é a representação gráfica da evolução do trabalho de parto, além da sensibilização de todos os profissionais das vantagens do parto normal”, explicou o diretor da unidade, o doutor Geraldo Felipe Barbosa.

Além disso, também instituídas as Discussões de Casos Clínicos e Análises de Condutas adotadas por amostragem. A Organização Mundial de Saúde tem como índices ideais a serem atingidos, em maternidades de baixa e média complexidade, entre 15 a 16% de cesáreas. As dificuldades em atingir essas recomendações, atualmente, estão relacionadas a fatores como idade da paciente – cujos extremos representam um maior índice de complicações, qualidade do pré-natal – incluindo as comorbidades detectadas e o início tardio do mesmo, além das condutas pré-concepcionais.
“Uma gravidez desejada e planejada, por exemplo, cria um campo mais propício, na conscientização da gestante, familiares e de toda a equipe interdisciplinar, da importância do parto por via natural/normal”, reforçou Barbosa.

O secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto, disse que atualmente 55% dos partos realizados no Brasil são cesarianas, de acordo com dados do Ministério da Saúde. O índice, que é de 40% no Sistema Único de Saúde (SUS), chega a 84% na rede privada. “Na Moura Tapajóz adotamos medidas para estimular a realização de partos normais e reduzir o alto índice de cesáreas desnecessárias. Ganham as mães e os bebês”, pontuou.

Vantagens do parto normal

O parto normal, como já sugere o nome, é a via natural de nascimento. Entre as vantagens estão a diminuição de riscos que todo procedimento cirúrgico pode trazer como infecções, cicatrizes não estéticas, aderências pélvicas, lesões de vísceras, propagação endometriótica, além da retirada de feto imaturo.

O nascimento por via vaginal traz vantagens tanto para a mãe como para o recém-nascido. A mãe libera mais rápido os compostos do leite materno, contribuindo para o sucesso do aleitamento. Tem, também, uma recuperação mais rápida, podendo voltar para as atividades rotineiras. Já o recém-nascido passa por um processo de adequação melhor à vida extrauterina durante o trabalho de parto. Estudos recentes apontam, ainda, a diminuição de casos de asma em crianças nascidas por essa via de parto.

Na Maternidade Moura Tapajóz existem visitas de vinculação, semanalmente agendadas. As pacientes, que são encaminhadas pelas Unidades de Saúde, fazem uma visita tutorial aos setores. Antes, participam de palestras que orientam sobre a postura durante o trabalho de parto, direitos reprodutivos, normas e comportamento enquanto durar a internação, visão e missão que norteiam as ações da MMT, protocolos assistenciais e cuidados com os recém-nascidos.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505