29/01/2016 14h41 - Atualizado em 29/01/2016 14h41

Presidente do TJAM adere a campanha que busca revitalização do antigo prédio da Faculdade de Direito

O movimento “Salve a Velha Jaqueira” é formado por egressos do curso.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

A presidente do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), desembargadora Graça Figueiredo, recebeu na manhã desta sexta-feira, dia 29, em seu gabinete, a comissão do movimento “Salve a Velha Jaqueira”, que busca a revitalização do antigo prédio da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), localizado na praça dos Remédios, Centro.

A iniciativa, capitaneada pelos egressos do curso de direito da Ufam Júlio Antônio Lopes, Raimundo Pontes Filho e Cassius Clei Aguiar, busca também apoio e suporte de órgãos públicos para que a campanha tenha uma grande visibilidade perante toda a sociedade.

“Filhos da Jaqueira”, como são chamados os egressos do curso de direito que estudaram naquela unidade, a desembargadora-presidente teve a oportunidade, durante o encontro, de lembrar de fatos históricos e declarou o seu total apoio ao movimento. “Um espaço como aquele não pode sofrer com a falta de cuidado. Importantes personalidades passaram por aquele prédio que faz parte da história de nossa cidade e portanto, merece todo cuidado e uma revitalização urgente”, declarou.

Membro da comissão, o advogado Júlio Antônio Lopes explicou que a criação da campanha surgiu a partir do momento em que ele se deparou com as condições externas e internas do prédio. “Isso é algo que já se prolonga a um certo tempo e entendi que precisava ser feita alguma coisa de maneira construtiva. Costumo dizer que esse movimento é colaborativo, participativo, construtivo, uma verdadeira corrente do bem”, disse.

Ele adiantou, ainda, que já teve a oportunidade de estar com o diretor da faculdade de Direito da Ufam, professor Sebastião Marcelice, e que foram recebidos com muito entusiasmo. “Ficamos sabendo que a reitora da Ufam, professora Márcia Perales, criou em agosto de 2015 uma comissão para que tomasse conta desse problema. Junto com isso, soubemos também que já existe um processo junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) de revitalização, mas até lá, o prédio precisa de uma reforma urgente, pois a situação pode se agravar. Por isso estamos pedindo ajuda junto a pessoas tão ilustres e que são ‘filhos da Jaqueira'”.

Até o momento, o movimento “Salve a Velha Jaqueira” conta com o apoio do Instituto Histórico e Geográfico do Amazonas (Igha), Procuradoria Geral da República (MPF), Faculdade de Direito da Ufam, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT-AM) e o TJAM.

Bruno Mazieri/TJAM

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505