26/02/2016 12h22 - Atualizado em 26/02/2016 12h22

Amazonas e França devem intensificar agenda de cooperação

O enfoque será em pesquisas e desenvolvimento sustentável.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Governo do Amazonas e a França devem intensificar a agenda de cooperação com o objetivo de ampliar o número de projetos bilaterais, com enfoque especial para as áreas de Ciência e Tecnologia e desenvolvimento sustentável. Intercâmbio de pesquisadores, oferta de bolsas para formação de mestres e doutores e apoio às pesquisas de inovação tecnológica de produtos da biodiversidade amazônica estão incluídos na pauta de interesses, o que deve favorecer projetos de piscicultura, fruticultura e produção de fármacos e biocosméticos.

Nesta sexta-feira, 26 de fevereiro, o governador José Melo e o Embaixador da França no Brasil, Laurent Bili, deram início às conversas. A reunião ocorreu na sede do Governo do Estado, zona centro-oeste de Manaus, e contou com uma comitiva de pesquisadores e representantes do governo francês. Da parte do governo amazonense, participaram os secretários de Fazenda, Afonso Lobo, de Planejamento, Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, Thomaz Nogueira, o secretário de Cultura, Robério Braga, e o secretário de Produção Rural, Sidney Leite.

No Amazonas, multinacionais francesas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM), como a BIC, a Gillete e a Thomson, ajudam a movimentar a balança comercial. A pauta de exportações tem destaque para subprodutos de madeira e lâminas de barbear, além de águas de colônia, partes de isqueiros e plásticos. José Melo enfatizou o interesse da França em colaborar com as questões ambientais e demonstrou otimismo com o caminho para expandir parcerias e a presença de empresas francesas na Zona Franca de Manaus.

“Estamos em uma cruzada importante, e com isso a gente tem tido muitas reuniões com empresários e embaixadores, com representantes comerciais dos países. Estamos fortalecendo a Zona Franca de Manaus à medida que se convida a empresa para vir se instalar aqui, e por outro lado, conseguindo passar para eles, o nosso conceito de uma nova matriz econômica para o nosso Estado do Amazonas, que passa pela criação de peixe em cativeiro e fruticultura, passa pela produção de medicamentos através de um polo de fármacos, de biocosméticos, e da questão relacionada com a mineração sustentável”, disse José Melo sobre a reunião com a comitiva francesa.

A reunião com o Embaixador da França é a primeira de uma série de encontros para avaliar as possibilidades. A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e a Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (Seplanct) devem liderar as próximas fases das conversas. “Também queremos trazer o conhecimento produzido no mundo pra nossa universidade, intercambio cultural e científico para transformar a UEA na instituição que reunirá todo o conteúdo sobre a Amazônia no mundo inteiro”, afirmou o governador.

Durante o encontro, o governador do Amazonas destacou o apoio que o Estado vem dando à criação de peixe em cativeiro. Tema prioritário na área econômica, a piscicultura está sendo incentivada com fins de industrialização. Melo espera atrair o capital financeiro e produzir o peixe amazônico e vendê-lo com o selo sustentável. “Antes de tudo, é preciso adquirir conhecimento para produzirmos com sustentabilidade”, pontuou.

Segundo o Embaixador da França, os projetos especiais do governo do Amazonas na área sustentável vão fazer parte da agenda em construção. “Tem muito que fazer. Falei com o senhor governador sobre a Zona Franca, e temos aqui empresas grandes e acho que no futuro temos muito trabalho, especialmente depois da COP 21, quando o senhor governador participou em Paris e mostrou projetos especiais nessa área de desenvolvimento sustentável, e então vai fazer parte da agenda entre a embaixada da França e o Governo do Amazonas”, revelou.

Parcerias em andamento entre França e o Amazonas envolvem cooperação científica com instituições como o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), além de uma parceria com as Forças Armadas. “A França é o único país amazônico da Europa e temos com o Amazonas uma cooperação muito frutífera, especialmente entre os centros de pesquisa, na área de agronomia, e também uma cooperação especial entre as forças armadas da Guiana Francesa e o CIGS”.

Este ano, o Governo do Estado deve participar do Programa de Cooperação Interreg Amazonie, patrocinado pela União Europeia. O programa busca reforço na oferta de soluções de transporte, valorização da biodiversidade e do patrimônio cultural.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505