18/02/2016 11h23 - Atualizado em 18/02/2016 12h38

Deputado confirma que crianças apreendidas em Lábrea passam a integrar programa social da PM

Elas participam agora do Proerd, no pelotão mirim da corporação do município, bem como seus pais.
Foto: Divulgação/PM
Foto: Divulgação/PM

As três crianças apreendidas no município de Lábrea (a 702 km de Manaus) sob a suspeita de terem invadido uma residência e furtado alguns bens, como telefones celulares e joias, passaram a integrar o Programa Educacional de Resistência as Drogas (Proerd) no pelotão mirim da corporação daquela cidade, bem como seus pais também serão assistidos pelo projeto.

A informação foi confirmada na quarta-feira, 17, pelo presidente da Comissão de Jovens, Crianças e Adolescentes da Assembleia Legislativa do Amazonas (CJCA/Aleam), o deputado Carlos Alberto (PRB).

“Falei com o presidente do Conselho Tutelar de Lábrea, Claudemir Cavalcante para que ele me posicionasse de que maneira as crianças envolvidas no episódio estavam sendo tratadas e recebi a confirmação de que elas, após terem passado pelo Centro de Referência em Assistência Social (Creas) e terem sido ouvidas por psicólogos e assistentes sociais foram encaminhadas para um programa de ressocialização da Polícia Militar da localidade”, explicou o parlamentar.

Ainda conforme o deputado do PRB, as crianças, com idades entre 7 e 10 anos, estão devidamente matriculadas para cursarem o ano letivo de 2016 e que “só invadiram a casa por estarem com fome”. “Não medirei esforços para cumprir extensa agenda no interior do Estado para apurar de perto não apenas este caso, isolado entre centenas de outros incidentes envolvendo crianças e adolescentes, mas verificar de que maneira esses menores estão tendo os seus direitos assegurados por lei garantidos”, justificou ao afirmar que a sociedade precisa se unir para que juntamente com o poder público possa reduzir o número de jovens envolvidos com drogas ilícitas e a criminalidade.

Criminosos?

Em conversa com o deputado Carlos Alberto, o conselheiro tutelar de Lábrea, Claudemir Cavalcante reafirmou que as crianças suspeitas de furto “não são criminosas”. “Elas estavam com fome quando entraram na residência e, ao se depararem com objetos, como telefones celulares e joias, pegaram para si, mas devolveram à polícia na sequência do desenrolar dos fatos. Para respaldar essa afirmação basta observar que nenhum dos menores tem passagem pelo sistema de apreensão de menores da cidade”, reiterou Cavalcante.

Precocidade

Durante o Pequeno Expediente da terça-feira (16), o líder do PRB na Aleam, demonstrou preocupação com o fato precoce de três crianças, entre 7 e 10 anos, terem sido apreendidas após arrombarem e furtarem uma residência no município de Lábrea.

“A imagem daquelas crianças estampadas nas primeiras páginas dos jornais de nossa cidade me deixou preocupado com o futuro de desses menores. No momento em que o governo tem se esforçado para ampliar a rede de ensino estadual, inclusive no interior, mesmo assim, percebemos que essa problemática vai muito além do que podemos imaginar. Uma criança não necessita somente de escola, de esporte, mas sim, em primeiro lugar dos princípios básicos da educação familiar”, declarou o republicano.

Para Carlos Alberto, enquanto a sociedade não entender que a família é a base de todo o cidadão, infelizmente todos vão continuar vendo cenas grotescas como esta que foi amplamente divulgada. “Pois a valorização da estrutura familiar é uma forma de impulsionar o desenvolvimento da sociedade e valorizar o cidadão, e para isso, enquanto poder público precisamos nos unir, buscar medidas, reforçar o papel da família na sociedade e contribuir para reduzir o número de jovens envolvidos com drogas e com a criminalidade, assim como melhorar os índices de ressocialização de presos”, pontuou.

O parlamentar lamentou que, ”famílias desestruturadas acabam por não ter forças para segurar seus filhos dentro de casa e, consequentemente, esse menor, na maioria das vezes, é cooptado pelo crime e se tornam vítimas vulneráveis das drogas e prostituição”.

Defesa
Ainda em seu discurso, Carlos Alberto desmistificou que a família seja considerada por muitos como uma instituição falida. “Mas, afirmo e reafirmo que ela (a família) tem um papel fundamental na formação das pessoas e, por isso, deve ser valorizada. E, em 2016, esse será um tema recorrente na comissão que presido, a de Jovens, Crianças e Adolescentes, sejam por meio de propostas, ações que mobilizem a sociedade na construção de uma nova visão familiar – onde as nossas crianças possam encontrar dentro das suas casas apoio e educação, pois acredito que somente assim, construiremos uma sociedade mais justa”, justificou.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505