25/02/2016 09h56 - Atualizado em 26/02/2016 11h01

Samu completa dez anos com 3,5 milhões de chamadas para o 192

Em 2015, o número total de chamadas foi de 570 mil.
Foto: Karla Vieria/Semcom
Foto: Karla Vieria/Semcom

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-192) completou nesta quarta-feira, 24, dez anos de funcionamento em Manaus. Desde 2006, o serviço recebeu 3.580.418 chamadas para o 192, incluindo 437.670 atendimentos feitos pela equipe em ambulâncias, e 892.527 das ligações foram trotes recebidos.

No primeiro ano de atuação, o Samu recebeu 68.913 chamadas, com 36 mil atendimentos efetivados. Em 2015, o número total de chamadas foi de 570 mil, com 61.041 atendimentos efetuados por ambulâncias e 126 mil trotes. Outros atendimentos foram feitos sem a necessidade de deslocamento por ambulância.

“Os números mostram a importância do Samu para o município de Manaus, do trabalho de profissionais que atuam diretamente salvando a vida de pessoas e que deve ser valorizado por toda a sociedade”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Homero de Miranda Leão Neto.

Atualmente, o Samu possui 11 bases, sendo elas Sul, Centro-Sul, Oeste, Centro-Oeste, Norte, Leste, Santa Etelvina, Cidade de Deus, Puraquequara, Colônia Antônio Aleixo e Fluvial.

Na Base Sul está localizado o Núcleo de Educação Permanente em Urgência que conta com um auditório de 65 lugares, uma sala de multimídia, dois laboratórios de habilidades interligados ao auditório por um sistema de som e imagem, um almoxarifado para materiais e manequins, onde é realizada a capacitação dos profissionais do próprio órgão e da população em geral.

São 54 ambulâncias do tipo Unidades de Suporte Básico, sete Unidades de Suporte Avançado, 18 Motolâncias, duas Unidades de Suporte Avançado Fluvial (Ambulancha) e seis Unidades de Suporte Básico Fluvial (Ambulancha).

Segundo o gerente do Samu, médico Ruy Abrahim, os principais atendimentos são casos clínicos: problemas respiratórios, cardíacos, derrames; Traumas: Ferimentos por arma branca, ferimentos por arma de fogo, acidente de trânsito; Pediátricos, gineco-obstétricos e psiquiátricos.

“O trabalho é executado por 1.003 servidores, incluindo médicos socorristas, enfermeiros socorristas, técnicos de enfermagem socorristas, condutor de motolância socorrista, condutor de ambulância socorrista, auxiliar de serviços gerais, operadores de rádio, telefonista, farmacêutico, Arrais (prático de lancha), copeiro, lavadeiro, administrativos, entre outros. Todos contribuindo para a melhoria dos serviços de urgência em emergência no município de Manaus”, destaca Ruy Abrahim.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505