23/03/2016 12h50 - Atualizado em 23/03/2016 12h50

Lava Jato: PF indicia João Santana e outras 7 pessoas

Eles foram indiciados por lavagem de dinheiro, corrupção passiva, organização criminosa e manutenção de depósitos no exterior não declarados.
Foto: Reuters
Foto: Reuters

A Polícia Federal apresentou nesta terça-feira o indiciamento do ex-marqueteiro do PT João Santana, da mulher dele, Monica Moura, e de outros seis investigados na 23ª fase da Operação Lava Jato, batizada Acarajé. Eles foram indiciados por lavagem de dinheiro, corrupção passiva, organização criminosa e manutenção de depósitos no exterior não declarados.

Foram indiciados também:o lobista Zwi Skornicki, pelos crimes de manutenção de contas no exterior não declaradas e por corrupção ativa; Eloisa Skornicki, por manter contas no exterior não declaradas e por corrupção ativa; Bruno Skornicki por lavagem de dinheiro; o ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro; o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, por corrupção passiva; e Armando de Souza Tripodi, por corrupção passiva.

Agora, o Ministério Público Federal (MPF) vai analisar se há provas suficientes para apresentar denúncia contra os oito investigados. Se houver denúncia, o juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato, avalia se vai aceitá-la e, caso isso ocorra, os denunciados passam a ser réus.

A etapa Acarajé foi deflagrada em 22 de fevereiro e mirou a relação do marqueteiro João Santana, responsável pelas campanhas do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff, com o esquema de corrupção instalado na Petrobras. De acordo as investigações, Santana recebeu 3 milhões de dólares de offshores ligadas à construtora Odebrecht e 4,5 milhões de dólares do lobista e engenheiro representante no Brasil do estaleiro Keppel Fels, Zwi Skornicki. Em relação à Monica Moura, foi ela quem deu as coordenadas de duas contas no exterior a Zwi Skornicki. Os crimes foram apontados pelo ex-gerente de Serviços da Petrobras Petro Barusco em seu depoimento de delação premiada.

Fonte: Veja.com

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505