07/03/2016 11h27 - Atualizado em 7/03/2016 11h27

Pesquisas do Inpa serão apresentadas aos deputados na sexta-feira (11)

Dados dos cientistas servirão para embasar propostas de lei e indicações ao Governo do AM.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Pesquisas desenvolvidas pelos cientistas do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) serão apresentadas aos deputados estaduais do Amazonas, na próxima sexta-feira (11), durante uma Sessão Especial que será realizada na sede do Instituto, na Avenida André Araújo, Petrópolis, zona Sul. A ideia, levada adiante pela Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), partiu do presidente do Poder Legislativo, deputado Josué Neto (PSD), que aposta na interação entre as duas instituições para criação de Projetos de Lei e outras propostas que beneficiem a população.

A reunião no Inpa, que está prevista para começar às 9h30, seguirá o modelo da Sessão Especial realizada no Comando Militar da Amazônia (CMA), em outubro de 2015, também por indicação de Josué Neto, quando representantes do Exército Brasileiro mostraram aos parlamentares as ações de combate ao contrabando, biopirataria, mineração ilegal e invasão em terras indígenas, que geraram a possibilidade de criação de leis que coíbam esses tipos de crime no Amazonas.

Durante o evento no Inpa, os pesquisadores apresentarão aos deputados um balanço das pesquisas mais importantes realizadas nos últimos anos, entre elas o estudo de substâncias extraídas de plantas regionais que se mostraram eficazes no tratamento de diabetes e câncer, por exemplo.

Para o presidente da Casa, deputado Josué Neto (PSD), autor do requerimento que resultou nessa sessão, as informações do Instituto podem contribuir para a criação de programas e políticas de fiscalização e conservação ambiental, já que o Parlamento pode contribuir com a legislação necessária, ou mesmo levar ao Governo do Estado e ao Congresso Nacional as necessidades legislativas ou não, na área ambiental, nos casos que não forem competência dos deputados estaduais.

Uma dessas pesquisas foi apresentada em setembro passado no plenário da Aleam, pelo pesquisador Carlos Cleomir de Souza, da coordenação de Pesquisa de Produtos Naturais do Inpa, demonstrando o uso do gengibre amargo no tratamento de feridas decorrentes do diabetes. O gel criado a partir do gengibre se mostrou eficaz contra úlceras de pessoas diabéticas, curando 95% dos casos em que foi testado, e também se mostrou eficaz em pacientes com feridas resultantes de câncer.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505