09/03/2016 13h39 - Atualizado em 9/03/2016 13h39

Seminário promove atualização sobre doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti

O seminário está ocorrendo de forma itinerante em várias capitais.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Contribuir para a ampliação de conhecimento sobre as viroses emergentes, relacionadas ao mosquito Aedes aegypti e fortalecer o Sistema Único de Saúde para o enfrentamento dos atuais desafios de vigilância e da atenção à saúde são os objetivos do ‘Seminário Zika, Chikungunya e Dengue: desafios para o controle atenção à saúde’. O evento é uma iniciativa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz Amazônia), em parceria com a Fundação de Vigilância à Saúde (FVS-AM) e Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

O seminário está ocorrendo de forma itinerante em várias capitais e, em Manaus, está sendo realizado no auditório da Escola de Saúde, da Universidade do Estado do Amazonas, zona Sul, até às 17h desta quarta-feira, 9. Profissionais de saúde e outros envolvidos com a atenção ao controle das viroses causadas pelo Aedes aegypti fazem parte do público-alvo do Seminário.

“Estamos participando para trocar experiências, para conhecer mais do assunto. Nunca foi vivida antes esta situação, portanto é muito oportuno que os nossos técnicos possam conhecer experiências e expor as suas, também”, avaliou o secretário municipal de saúde, Homero de Miranda Leão, afirmando, ainda, que a cada dia surgem novas pesquisas e dados que podem, inclusive, redirecionar as estratégias e orientações utilizadas. “É muito dinâmico esse processo”, destacou.

Durante a abertura do evento, o diretor-presidente da FVS, Bernadino Cláudio de Albuquerque, também destacou o compromisso dos vários agentes no combate ao Aedes aegypti. “Ver esse auditório lotada demonstra o envolvimento dos técnicos da área da saúde e educação”, exemplificou o diretor, que na programação irá apresentar as ‘ações de assistência e controle no Amazonas’.

Entre os expositores do seminário estão o diretor do Escritório Técnico da Fiocruz Mato Grosso, Rivaldo Venâncio da Cunha, e a diretora do Instituto Renée Rachou da Fiocruz Minas, Zélia Profeta. As respectivas abordagens tratam sobre a ‘epidemiologia e manejo clínico da infecção humana determinada pela Dengue, Chikungunya e Zika em adultos’ e os ‘comitês populares para o controle do Aedes visando ao fortalecimento da mobilização social no enfrentamento do vetor’.

A próxima cidade a receber o Seminário, que já aconteceu no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Teresina, será Porto Velho, na quinta-feira, 10.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505