27/04/2016 07h12 - Atualizado em 27/04/2016 07h12

Em meio à crise, empresas do Amazonas aumentaram as exportações

O Centro Internacional de Negócios do estado registrou aumento de 12% na emissão de certificados de origem.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O Centro Internacional de Negócios do Amazonas (CIN-AM), da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), registrou um aumento de 12% na emissão de certificados de origem para empresas exportadoras do Estado. A emissão dos certificados no primeiro trimestre de 2015 foi de 642 e, em 2016, esse número alcançou 720 no período de janeiro a março.

O documento atesta a viabilidade econômica e jurídica de produtos exportados do Brasil. O certificado confere ao seu detentor o direito a se beneficiar dos acordos internacionais que concedem alíquotas preferenciais aos países signatários. Além disso, com ele o importador conta com uma redução substancial nos tributos a pagar em seu País, tornando assim o produto mais competitivo e dando mais oportunidade de penetração nos mercados que o Brasil mantém acordos comerciais.

Somente do ano de 2015, o CIN-AM emitiu 2.938 certificados de origem, com maior número de emissões registrado no mês de outubro, 288 certificados, seguido do mês de julho com 283 certificados emitidos, depois setembro com 282 emissões.

Para o gerente do CIN-AM, Marcelo Lima, o aumento no número de emissões do certificado de origem é relevante porque mostra que o empresário amazonense tem exportado mais, além de atestar a importância do documento.
“O aumento é uma demonstração que as empresas amazonenses estão reagindo e exportando mais mesmo em meio à crise pela qual todo o país está passando. O empresário que entende a importância do certificado de origem tem mais oportunidades no mercado internacional, visto que esse documento agrega mais valor ao seu produto”, enfatizou o Marcelo.

Produtos
Os produtos mais comercializados fora do país, segundo levantamento do CIN-AM, são: os concentrados para bebidas; motocicletas; aparelhos de barbear; terminais de celular e lâminas de barbear. Já os países que mais compram do Amazonas são: Venezuela, Argentina, Colômbia, Paraguai, Chile e México.

Uma das empresas amazonenses que mais exporta e consequentemente solicita emissão de certificado é a Recofarma Indústria do Amazonas Ltda, que apenas no primeiro trimestre deste ano exportou U$$ 62.620.953 de concentrados e bebidas, enquanto em 2015 exportou U$$ 57.448.026, no mesmo período.

A Moto Honda exportou no primeiro trimestre do ano passado U$$ 10.695.246 e este ano no mesmo período alcançou U$$ 18.965.272 com as exportações de motocicletas.

“Com a emissão dos certificados os empresários conseguem atestar oficialmente o país de origem da mercadoria exportada e isso significa ampliação do acesso ao mercado exterior e maior competitividade. O CIN tem se esforçado para fazer com que o empresariado local entenda a importância de exportar com o certificado de origem e temos alcançado êxito nessa missão”, afirmou o gerente.

Treinamento
O CIN-AM oferece treinamento gratuito para a realização dos procedimentos, que são cadastros e emissão do Certificado no Sistema. Para a emissão do Certificado de Origem, a empresa interessada deve se cadastrar no Sistema COD Brasil, pelo site www.cod.cni.org.br e seguir os seguintes passos:
– Clicando em “Quero me cadastrar”,
– Digitar informações necessárias
– Imprimir 2 vias do Termo de Adesão e Enviar.
– Entregar no CIN/FIEAM as vias do Termo de Adesão, junto à Procuração.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505