07/04/2016 18h42 - Atualizado em 7/04/2016 19h09

Marco Feliciano já conseguiu 112 assinaturas para a CPI da UNE

A União Nacional dos Estudantes (UNE) é investigada pelo TCU de desviar verbas que recebe de ministérios, através de fraudes em convênios e utilização de empresas fantasmas.
Foto: Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados
Foto: Gabriela Korossy / Câmara dos Deputados

Segundo o regimento interno da Câmara, são necessárias 171 assinaturas, o que o deputado-pastor espera conseguir ainda hoje.

Feliciano está colhendo-as pessoalmente, coisa rara entre os deputados, que normalmente usam terceiros para a tarefa.

No Plenário, ao apresentar a proposta de CPI, Feliciano disse que a UNE deveria ser chamada de “União Nacional dos Esquerdopatas” e afirmou que vem sendo humilhado por integrantes da entidade.

Confira um trecho do que disse o do deputado Marco Feliciano

Consultando dados oficiais desde 2006, a UNE já recebeu quase 60 milhões de reais, entre doações de estatais transferência direta do governo e patrocínio de ministérios, verifica-se, na prestação de contas dessa fortuna, que a ela se junta fundos da venda de carteirinhas de estudante, das quais mantém monopólio, juntadas de notas fiscais frias referente ao convênio que bancou a caravana estudantil da saúde no valor de R$ 2.800.000 (dois milhões e oitocentos mil reais ), comprovadas pelo TCU, tendo além disso o Ministério Público do TCU, detectado gastos com compra de cerveja, vinho, vodka, uísque e outros estranhos à atividade do congresso estudantil.

Além de tudo, se não bastasse, essa entidade projeta a construção de um edifício em área nobre do Rio de Janeiro, no valor de R$ 65 milhões de reais num flagrante desvio de finalidade, pois pretende usar parte do prédio e sublocar o restante.

A sociedade precisa saber o que se passa numa entidade tão importante e de tantas tradições quanto a UNE, portanto, vou propor uma CPI para apurar essas irregularidades apontadas pelo TCU, e o uso indiscriminado das mídias sociais para atacar quem pensa diferente de seus membros que se portam como verdadeiros militantes sectários.

UNE

Assim como a CUT, a UNE recebe poupudos patrocínios estatais – só pela Lei Rouanet já captou R$ 11.351.662,40, grande parte através do Fundo Nacional da Cultura ou de repasses do Tesouro. O BNDES (2007 e 2009) e a Petrobras (contratos 4600328715, 4600346795 e 4600323752 e projetos 067426 e 045612) são seus principais financiadores – juntos, desde 2007, já repassaram 910 mil para a entidade.

As relações entre a petroleira e o movimento, aliás, são bem próximas: além de receber o apoio, a UNE esteve junto com a CUT nos protestos “em defesa da Petrobras”.

Em 2011, após o jornal O Globo anunciar que a entidade receberia um total de R$ 3 milhões em patrocínios públicos para a realização de um Congresso – na ocasião, a Petrobras contribuiu diretamente com R$ 260 mil –, os repasses públicos à UNE viraram manchete.

Mas, afinal, quanto a UNE recebeu do governo nos últimos anos?

Fomos atrás dos dados para responder essa pergunta. As informações foram recolhidas no portal de transparência da Petrobras, nos patrocínios do BNDES e nos Convênios do Portal da Transparência.

No total, desde 2006, a UNE já recebeu R$ 55,9 milhões da administração pública, entre doações de estatais, transferências diretas e patrocínios de ministérios. Dinheiro que saiu do seu bolso.

Lula foi o campeão em doações: ao deixar o Planalto, a gestão do ex-presidente havia contribuído com incríveis 97,4% de todo o dinheiro público que chegou até os cofres da UNE. Dilma continuou com os repasses, mas em ritmo um pouco mais lento: foram repassados “somente” R$ 14 milhões durante seu governo.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505