16/06/2016 10h16 - Atualizado em 16/06/2016 10h33

O principal inimigo do comunismo não é o capitalismo, é a igreja.

Foto: AM POST
Foto: AM POST

Já notaram que só nos países cristãos foi possível oferecer uma resistência séria ao comunismo? Espanha, Portugal, Inglaterra, Dinamarca, Itália, Hungria, Polônia, México, Filipinas, o próprio Brasil, mostraram que Antônio Gramsci tinha razão ao declarar que o principal inimigo do comunismo não era o capitalismo e sim a Igreja. O Brasil só se tornou vulnerável ao comunismo quando a Igreja no nosso país se corrompeu e grande parte da população perdeu a fé.
”Ou expulsamos os traidores de dentro da Igreja, ou será impossível salvar o Brasil (…) o cerco está fechando, a liberdade de religião está se extinguindo a olhos vistos” O. Carvalho.

A igreja tem um papel fundamental na sociedade e temos obrigação de não deixar que seus ensinamentos sejam esquecidos. A caridade individual, muito ensinada pela igreja, é de imensa importância, esqueça o governo, ele não quer ajudar os pobres, faça você mesmo. Doe comida, dê educação, auxílio psicológico, ajude alguém a se erguer novamente, faça o que estiver ao seu alcance. Essa é a forma mais eficiente de mudança, a caridade e educação. Fale sobre política e outros assunto com pessoas mais humildes, gaste 5 minutos do seu tempo espalhando conhecimento. Todos sabemos que quando o governo propõem algum programa social tem intuito é eleitoral e grande parte do dinheiro direcionado a estes programas acaba desviado, mal aplicado e serve para a compra de votos. O governo quer a população dependente, burra e pobre.

Analise a qualidade dos serviços públicos oferecidos, educação precária com viés ideológico, saúde pública de péssima qualidade (gastasse muito e o retorno é péssimo), obrigações trabalhistas disfarçadas de direitos que usurpam o dinheiro do trabalhador e devolvem migalhas. Quem não gostaria de ganhar 50% a mais? Você poderia, mas o governo diz NÃO, e confisca todo esse dinheiro, mensalmente. Antônio Gramsci, um dos maiores teóricos da esquerda, dizia que a igreja é responsável por manter a democracia e o capitalismo, e portanto precisa ser destruída e a melhor maneira é através da mudança cultural. A relativização de comportamentos, como adultério, promiscuidades, abortos, assassinatos e imposição do homossexualismo fazem parte dos planos de destruir a igreja que defende a justiça e a meritocracia.
O objetivo da esquerda é destruir tudo que se refere a Deus, e assim tomar o papel de quem define os padrões de comportamento. O aborto, por exemplo, é fortemente defendido pois desvalorizar a vida, banaliza a morte, é um processo de dessensibilização das pessoas.

O homossexualismo deve ser respeitado, mas JAMAIS deve ser imposto, que dirá tratar sobre este assunto sexual para crianças a partir dos 5 anos como o governo tentou fazer através dos chamados “kit gay” no material escolar, filmes homo-afetivos nas escolas e seminários infanto-juvenil LGBT. Criança tem que estudar e não é com 5, 6, 7 anos que deve decidir sobre sua sexualidade. O intuito de tudo isso é enfraquecer a família, pois uma família unida e bem instruída se torna forte e rivaliza com o estado. A “lei das palmadas”, por exemplo, foi aprovada com o objetivo de desestabilizar, separar os pais dos filhos e desta forma, fazer com que os filhos sejam educados pelo estado.
Crianças são crianças e sua educação é primordial, fique atento a seus cadernos, livros e o que é ensinado na escola. E principalmente eduque seu filho antes que um professor esquerdista o adote.

Leticia Catel

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505