03/06/2016 15h34 - Atualizado em 3/06/2016 15h34

PRB anuncia pré-candidatura a prefeito de Manaus nas eleições 2016

Candidatura do deputado Silas Câmara foi oficializada nesta sexta-feira (3). Partido busca alianças com partidos e ainda não tem candidato a vice.
118820_697x437_crop_574ce92496541 (Copy)

O Partido Republicano Brasileiro (PRB) oficializou, nesta sexta-feira (3), a pré-candidatura do deputado Federal Silas Câmara à Prefeitura de Manaus. Câmara está no quinto mandato de deputado e vai concorrer pela primeira vez ao cargo do executivo municipal. O vice-prefeito pela chapa ainda não foi escolhido.

Em coletiva na capital, Silas afirmou contar com o apoio de muitos amigos da cidade, que podem contribuir financeiramente para a campanha, além do dinheiro já levantado pelo partido.

Assim como todos os candidatos, Câmara busca aliança com outros partidos para fortalecer a campanha, no entanto, evitou falar sobre status das conversas.

O candidato, que é evangélico, pretende buscar apoio desta parcela de eleitores. “Eu entro nessa candidatura com o apoio de muita gente de Manaus.

Câmara diz que pretende continuar com as iniciativas de outros prefeitos que foram positivas para a cidade e fazer uma gestão mais próxima das pessoas.

“Eu tenho o objetivo de mostrar para Manaus o que os últimos prefeitos fizeram de bom para a cidade. Não são muitas coisas, mas tem algumas. E depois, instalar uma administração que tenha um envolvimento comunitário e com diálogos muito fortes tanto com as pessoas quanto com o poder legislativo. Só isso já é um diferencial muito grande das últimas administrações”, enfatiza.

A crise econômica é citada como um dos grandes desafios para a gestão, conforme o candidato.

Seguro-defeso
A respeito do pedido de recebimento de seguro-defeso retroativo solicitado pela Federação dos Pescadores do Estado do Amazonas (Fepesca/AM), Câmara disse acreditar na impossibilidade do recebimento.

Em janeiro, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, decidiu derrubar um decreto legislativo aprovado em dezembro pelo Congresso que garantia aos pescadores o pagamento do seguro-defeso, benefício previdenciário concedido pelo governo durante o período de proibição da pesca.

“Essa questão de pagamento retroativo, como já disse aos pescadores, é muito complicada porque para se pagar retroativo deveria estar acontecendo o defeso e, na verdade, a Portaria 192 suspendeu o defeso e liberou a pesca”, explicou.

No Amazonas, 32,1 mil pescados deveriam receber o pagamento retroativo do seguro-defeso, segundo a Fepesca/AM.

“Quando o ministro Barroso derrubou a liminar dada pelo ministro Lewandoswisk dizendo que o PDC 238, de minha autoria, era legal, e que portanto estava reestabelecido o defeso, já foi praticamente no final do período do defeso. Então, se foi no final do período do defeso, não tem como pagar aquilo que não existiu, mas espero que os pescadores amazonenses estejam festejando a recuperação daquilo que havia sido completamente perdido e que este ano está assegurado”, explica Câmara.

Fonte: G1

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505