30/06/2016 07h20 - Atualizado em 30/06/2016 18h36

Senador Magno Malta sai em defesa de Jair Bolsonaro

Mandato do deputado pode ser cassado por dedicar voto a favor do impeachment de Dilma ao Coronel Ustra.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O senador Magno Malta (PR), em discurso no Senado Federal no último dia 29 de junho, ponderou decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) e da Comissão de Ética da Câmara dos Deputados, sobre a possível cassação do mandato de deputado Jair Bolsonaro (PSC), devido a dedicação de voto à memória do Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, no dia da votação da admissibilidade do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff (PT).

Para Magno Malta, outros deputados que dedicaram seus votos à personalidades, pelas quais o senador não nutre simpatia, como os comunistas Carlos Marighella e Lamarca não estão sendo punidos e na sua opinião isso verdadeiramente tem sido dois pesos e duas medidas e a demonstração que o STF exacerbou da sua competência.

“Milhares de pessoas, que eu agradeço, que me seguem nas redes sociais têm me indagado o que penso sobre isso. Eu não sou advogado, nem tenho procuração do deputado Jair Bolsonaro, mas eu acho que ele tem imunidade de palavra, que ele tem direito de expressão, é a lei que lhe confere o direito. Eu não nutro simpatia alguma e nem respeito a história de Marighella e Lamarca, mas devo respeito àqueles que dedicaram votos à eles, porque é um direito deles. Ninguém subiu nessa tribuna aqui pra falar do Estado Islâmico, que estupra crianças e que mata homossexuais, nunca vi ninguém subir aqui para falar do amigo de Lula lá do Irã que mata homossexuais, que não respeita os direitos humanos, mas eles glamorizam Cuba que não respeita os direitos Humanos, Che Guevara e o resto das pessoas que não merecem respeito. O Supremo Tribunal Federal exacerbou da sua competência porque ninguém sabe mais do que o STF, que o direito de livre expressão existe nesse país e que ele tem imunidade de palavra”, enfatizou Malta.

O senador encerrou o discurso dizendo esperar que a mesma atitude tomada contra Bolsonaro seja tomada com outros deputados. “Não sou advogado de Bolsonaro, mas espero que ele (STF) tome a mesma atitude que tomou com aqueles que dedicaram a essas figuras os seus votos, que é um direito de cada um. Então, penso que o Supremo extrapolou da sua competência e se a moda pega daqui a pouco nós não podemos nem nos posicionar. Por isso, de maneira muita corajosa respondo as milhares de pessoas que me questionam nas redes sociais como a outros também, mas como nasci desmamado não vou botar o galho dentro nunca e vou encerrar dizendo mais uma vez: O Supremo extrapolou”, concluiu Magno.

Confira o vídeo:

Fonte: Redação AM POST

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505