21/07/2016 14h31 - Atualizado em 22/07/2016 00h26

Dilma se livra de Moro e petistas festejam ‘impunidade’

Juiz decidiu que presidente afastada não irá depor no processo da Lava Jato.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Uma novidade no processo da Operação Lava Jato, uma das mais importantes no momento para a população brasileira, tem irritado muitos opositores da presidente afastada, Dilma Rouseff (PT). De acordo com o jornal O Globo, o juiz federal responsável pelo caso, Sérgio Moro, liberou a presidente de testemunhar na Operação. A decisão foi tomada após a aceitação de diversos pedidos dos advogados do empreiteiro Marcelo Bahia Odebrecht para que Dilma o defendesse. Porém, Moro voltou em sua decisão e falou que Dilma só precisa prestar depoimento por escrito.

Anteriormente, os advogados de Odebrecht arrolaram a presidente afastada na ação que investiga repasses de propina por meio do Setor de Operações Estruturadas. João Santana do PT, marketeiro das campanhas de Dilma Rouseff, também está sendo investigado e já foi preso a mando do juiz Sergio Moro.

Após Moro deixar que Dilma deponha apenas por escrito, os advogados do empreiteiro Marcelo Odebrecht informaram que foram cancelados todos os outros depoimentos marcados em sua defesa. De acordo com o documento encaminhado ao magistrado federal, os motivos que justificam este cancelamento são “sigilosos” e Moro tem que acatar à decisão.

Contudo, o jornal carioca O Globo anunciou que Odebrecht está a poucos passos de fechar um acordo de delação premiada de seus “comparsas”, que poderá abalar as estruturas do país. A assinatura deverá ser feito com o Ministério Público Federal (MPF). Para que isso ocorra, de acordo com o jornal, é necessário que Odebrecht consiga de volta arquivos digitais comprobatórios que demonstram o pagamento das propinas a políticos e outras autoridades do “alto escalão”.

Marcelo Bahia Odrebrecht foi preso no dia 19 de julho do ano passado. Ele foi presidente de uma das maiores empreiteiras do país, a Organização Odrebrecht. Nela, ocorreu um perigoso esquema de lavagem de dinheiro, revelado durante a operação Lava Jato, comandada por Sergio Moro. O dinheiro servia para fazer repasses ilegais envolvendo a Petrobras.

Fonte: Blasting News

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505