13/07/2016 13h40 - Atualizado em 14/07/2016 07h43

Eduardo Cunha tenta se defender e é humilhado pelo povo: ‘bandido’; veja vídeo

Deputado federal tenta se defender na Comissão de Justiça e tentar manter mandato.
Foto: (Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Foto: (Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O deputado federal Eduardo Cunha, eleito pelo PMDB do Rio de Janeiro, passou na tarde desta terça-feira, 12, por uma grave hostilização ao chegar à sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). O peemedebista foi ao local para tentar aprovação do seu recurso em anular a votação realizada no Conselho de Ética da Câmara dos deputados, que deu parecer favorável à cassação do político. “Bandido, Cunha na cadeia”, gritam pessoas que não parecem acreditar na inocência de Eduardo Cunha, que é alvo de algumas investigações e processos. Na semana passada, durante uma coletiva ao vivo transmitida na televisão, o parlamentar chegou a chorar ao renunciar à presidência da Câmara. Nesta quarta-feira, 12, começará o ritual para escolher o novo presidente da casa.

De acordo com informações do G1, Eduardo Cunha chegou ao local pelo Anexo 2 da Câmara. Ele estava com vários seguranças da casa, que evitavam que Cunha pudesse vir ser agredido por populares. Os profissionais, no entanto, não foram capazes de diminuir os gritos de discordância dos opositores. O político parecia fingir que não estava ouvindo nada e seguiu de cabeça erguida, indo em frente a seu objetivo principal, que é manter o mandato. Eduardo é considerado uma espécie de cadáver político. Mesmo assim, ele ainda tem esperança de uma reviravolta, nem que seja para salvar sua filha e a esposa, jornalista Cláudia Cruz, das investigações da Lava Jato.

Veja abaixo o vídeo que mostra Eduardo Cunha sendo hostilizado:

Durante toda esta terça, os mais diversos partidos fazem reuniões para escolher seus representantes que vão tentar o pleito em concorrer a um cargo na casa. Ficou constatado que existe um racha em diversas legendas, até mesmo as mais fortes, como o PMDB, do presidente em exercício Michel Temer, que manteve Cunha anos à frente do parlamento, como também do Partido dos Trabalhadores (PT), que trabalha para evitar o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. De acordo com a coluna Esplanada do jornal ‘O Dia’, nem mesmo Dilma acreditaria em sua volta e aproveita o tempo livre para ouvir Beyoncé.

Fonte: Blasting News

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505