06/07/2016 07h36 - Atualizado em 6/07/2016 07h36

Jô Soares recebe ministro, defende Rouanet e é detonado: ‘Vai fazer peça para Dilma’

O apresentador disse que jamais recebeu dinheiro da Lei Rouanet como captador do projeto.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Na madrugada desta quarta-feira (6), o apresentador Jô Soares recebeu o Ministro da Cultura Marcelo Calero. Já na abertura da entrevista, os dois falaram sobre a polêmica Lei Rouanet, que permite que projetos culturais possam captar recursos com autorização do Ministério da Cultura. O comunicador disse que é a favor de que a Lei exista, mas que sejam discutidas possíveis mudanças. Calero bateu na mesma tese, relatando que o Brasil hoje vive a maior investigação da sua história, fazendo uma referência à Operação Lava-Jato, conduzida pelo juiz federal Sérgio Moro.

Jô citou o amigo Juca de Oliveira, que defende o fim da Rouanet alegando que acabou virando um antro de suspeitas. Ele se disse contra à sua tese e garantiu que a Lei seria muito importante. Em um dos momentos mais relevantes sobre esse debate, o entrevistador revelou que jamais recebeu dinheiro da Lei Rouanet como captador do projeto. No entanto, ele confessou que em muitos projetos enviados ao Ministério da Cultura, a pedidos de amigos artistas, ele aparece no cargo de diretor. Jô não disse se algum desses projetos teve autorização e se ele trabalhou efetivamente no cargo descrito.

Marcelo Calero lembrou de uma das primeiras polêmicas do governo do presidente em exercício Michel Temer, do PMDB. O peemedebista havia transformado o Ministério da Cultura em uma Secretaria sem status de Ministério. “Quando a gente comete um equívoco é preciso reconhecer e corrigir esse erro”, disse o chefe da pasta que citou que em um mês de pasta conheceu diversas regiões brasileiras, dando destaque especial ao São João de Pernambuco.

O chefe da pasta cultural fez até uma brincadeira com o fato da inflação está alta. “Eu sempre fui uma pessoa ruim para comer. Eu só comia o feijão feito no dia, não gostava de comer congelado, mas agora o feijão está muito caro, nem dá, né?”, disse ele, fazendo a plateia rir. Em seguida, ele destacou que o presidente em exercício Michel Temer estaria tomando medidas para baixar o preço do alimento.

Fonte: http://br.blastingnews.com

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505