02/07/2016 14h23 - Atualizado em 3/07/2016 14h39

Justiça brasileira fracassada: Defesa consegue revogar prisão preventiva de Carlinhos Cachoeira e outros quatro

O procurador-regional da República, José Augusto Vagos, disse que a decisão é um ‘desprestígio’ a quem trabalha duro na Operação Saqueador.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O desembargador Ivan Athié, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), transformou nesta sexta-feira (1º) em prisão domiciliar a prisão preventiva do contraventor Carlos Augusto Ramos, conhecido como Carlinhos Cachoeira. Ele foi preso na quinta (30) na Operação Saqueador, da Polícia Federal (PF) e do Ministério Público Federal (MPF), que informou que vai recorrer da decisão.

A decisão vale também para outros quatro réus: o dono da Delta, Fernando Cavendish, que está foragido, e os empresários Adir Assad, Marcelo Abbud e Cláudio Abreu, que assim como Cachoeira foram presos na quinta.

Segundo a assessoria de imprensa de Cavendish está no exterior e voltará ao Rio de Janeiro. “A defesa reitera ainda que, consciente da legalidade dos seus atos, Fernando Cavendish sempre atendeu às solicitações da autoridade policial, e assim continuará a fazer no âmbito do Inquérito Policial”.

Uso de tornozeleira
Foram estabelecidas sete medidas cautelares: afastamento da direção das empresas envolvidas nas investigações; recolhimento domiciliar integral até que demonstre ocupação lícita; comparecimento quinzenal em juízo; obrigação de comparecimento a todos os atos do processo; proibição de manter contato com os demais investigados; proibição de deixar o país, devendo entregar o passaporte em até 48 horas; e monitoração por meio de tornozeleira eletrônica.

Procurador critica decisão
Em nota, o procurador-regional da República, José Augusto Vagos, chefe da Procuradoria-Geral da República da 2ª Região, disse que a decisão de reverter a prisão preventiva “beira o abolicionismo penal”, considerando que permite prisão domiciliar “num contexto de desvios de quase 400 milhões”.

O procurador classificou como “um desprestígio aos órgãos de persecução que trabalharam duro para essa operação, gasto enorme de tempo e dinheiro para, sem maiores considerações e aprofundamentos, concederem-se prisões domiciliares em série”. Vagos afirmou que irá recorrer da decisão.

Denúncia aceita
Mais cedo, o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, aceitou a denúncia contra os 22 acusados de participar de um esquema que desviou R$ 370 milhões dos cofres públicos.

Agentes do MPF e da PF do Rio foram às ruas em três estados para operação que foi batizada de Saqueador, que tinha o objetivo de combater a lavagem de dinheiro e o desvio de verbas em obras públicas.

A PF chegou de madrugada aos endereços em três capitais. Um dos alvos, o empreiteiro Fernando Cavendish, dono da Construtora Delta, não estava em casa, no Rio de Janeiro. Ele mora de frente para o mar, na Avenida Delfim Moreira, no Leblon, um dos endereços mais caros do país.

Cavendish está fora do Brasil desde 22 de junho. Os agentes apreenderam um cofre no apartamento dele e documentos na sede da Delta, no Centro da cidade.

Em Goiânia, os policiais prenderam o bicheiro Carlinhos Cachoeira e o ex-diretor da Construtora Delta para a região Centro-Oeste, Cláudio Dias Abreu.

Cachoeira ri no camburaão que o levou preso na mnhã dessa quinta-feira(30) Foto: Reprodução

Cachoeira ri no camburão que o levou preso na manhã dessa quinta-feira(30) Foto: Reprodução

Fonte: G1

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505