08/07/2016 14h05 - Atualizado em 8/07/2016 14h05

Lava Jato investiga padre de ex-senador Gim Argello; religioso terá que explicar R$350 mil

Moacir Anastácio, da Paróquia São Pedro, de Taguatinga, terá de explicar R$ 350 mil recebidos do ex-senador em 2014.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A Operação Lava Jato investiga o padre Moacir Anastácio, da Paróquia São Pedro, em Taguatinga, no Distrito Federal. De acordo com as investigações, a igreja recebeu uma doação de R$ 350 mil da empreiteira OAS, em 2014, a mando do ex-senador Gim Argello (PTB-DF).

Na quarta-feira, 29, o juiz federal Sérgio Moro autorizou que a investigação sobre o padre Moacir Anastácio ocorra de forma concomitante às apurações sobre o ex-senador Gim Argello. O pagamento de R$ 350 mil, segundo a Procuradoria da República, à paróquia foi efetivamente realizado em 19 de maio de 2014, ‘como demonstram as mensagens posteriores no celular de Léo Pinheiro e as informações fiscais da Construtora OAS’.

“A autoridade policial solicitou ao Ministério Público Federal prazo para a continuidade das investigações neste procedimento, precipuamente para análise completa do material apreendido e para apurar suposto envolvimento nos fatos do investigado padre Moacir Anastácio”, afirmou Sérgio Moro, no despacho.

“O Ministério Público Federal manifestou-se. Afirmou que requereu a este Juízo o desmembramento do inquérito para as investigações relativas ao padre Moacir Anastácio de Carvalho, o que foi deferido por meio de decisão proferida nos autos. Diante das informações prestadas pela autoridade policial, no entanto, posicionou-se o Ministério Público Federal pela viabilidade do prosseguimento das investigações nestes próprios autos.”

Fonte: Estadão

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505