12/07/2016 09h47 - Atualizado em 12/07/2016 09h47

Pesquisa foca em perfil socioeconômico e conhecimento de pescadores ribeirinhos

O projeto é desenvolvido dentro do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas.
Foto: Reprodução/Fapeam
Foto: Reprodução/Fapeam

Uma das principais atividades da região amazônica, muito comum no interior do Estado e dividida em três eixos: ornamental, comestível ou comercial e esportiva, a pesca se tornou a principal finalidade de um projeto de pesquisa desenvolvido pelo professor Adriano Oliveira.

Intitulado “Perfil Socioeconômico e conhecimento etnoictiológico de pescadores do Médio Rio Negro, Amazonas”, a pesquisa é fomentada pelo Governo do Estado por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), e tem como objetivo descrever o perfil social, econômico e principalmente averiguar o conhecimento tradicional de pescadores sobre a pesca, a biologia das espécies e a percepção dos estoques naturais nos três eixos da atividade, nas cidades de Barcelos e Santa Isabel do Rio Negro, no Amazonas.

Segundo Adriano, a pesquisa é desenvolvida com a aplicação de questionários que buscam extrair a percepção de pescadores da zona urbana e rural. “A partir dos resultados obtidos, será possível traçar esse perfil socioeconômico, bem como a percepção do conhecimento tradicional do pescador. Tudo isso tem por finalidade fornecer informações técnicas e científicas para auxiliar e subsidiar políticas públicas voltadas para o ordenamento pesqueiro na região, além de fomentar a inclusão e aplicabilidade dos conhecimentos das populações ribeirinhas nas pesquisas, tendo em vista a conservação dos recursos pesqueiros e melhoria da qualidade de vida dessas populações”, disse Oliveira.

O projeto é desenvolvido dentro do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), no polo de Manaus e Presidente Figueiredo, onde alunos de graduação nas atividades de pesquisas, e professores que atuam como pesquisadores participam contribuindo com o estudo que está sendo realizado. Além deles, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) também é parceira desse projeto de pesquisa, e contribui com a inserção de alunos de pós-graduação, mestrado e doutorado, que vêm desenvolvendo suas atividades de pesquisa com o financiamento do Propesca/ Rio Negro – programa da Fapeam pelo qual o projeto está sendo desenvolvido.
Incentivo à pesquisa

Apoio

O Programa de Apoio à Pesquisa sobre a Pesca no Rio Negro (Propesca/Rio Negro) apoia a execução de projetos que contribuam com o desenvolvimento e melhoria da infraestrutura de pesquisas técnico-científicas na área da pesca, fornecendo suporte às políticas públicas para o setor pesqueiro em instituições vinculadas ao Governo do Estado do Amazonas.

De acordo com Adriano, o apoio da Fapeam vem desde quando ele era aluno e hoje, como profissional, ainda pode contar com os incentivos da instituição, que vem financiando o projeto de pesquisa nessa área que, nos últimos anos, cresceu consideravelmente na região. “Os pescadores estão em contato constante com os recursos naturais, vivem a natureza rotineiramente e têm muito conhecimento sobre a biologia das espécies de peixes ornamentais, comestíveis e aquelas utilizadas na pesca esportiva. A partir desse conhecimento podemos saber sobre a biologia reprodutiva das espécies, o que comem, onde se alimentam, onde e em que época se reproduzem, onde nascem, etc.

Essas informações podem ser empregadas como forma de auxiliar a sustentabilidade e a conservação e manutenção dos estoques pesqueiros locais que são usados há décadas pelos ribeirinhos amazônicos”, finalizou Oliveira.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505