19/07/2016 16h08 - Atualizado em 19/07/2016 16h08

Ronaldo Caiado revela repasses do SUS e afirma que governo de Dilma sucateou a saúde

Senador apresentou a tabela de repasses para os médicos brasileiros e cobrou mais coragem de Temer para ter prioridades no governo.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), utilizou a sua oportunidade no Senado Federal para, dentre outras coisas, mostrar uma tabela de repasses para os médicos contratados pelo SUS. Com a referida tabela em mãos, Caiado revelou que um médico que faz uma cirurgia de retirada de estômago em paciente do SUS, recebe apenas R$ 179,39, e um parto normal garante só R$ 170 ao profissional. Os valores, sempre abaixo de R$ 200, mostram também que um ortopedista que trata uma lesão medular recebe cerca de R$ 50 pela consulta. Os valores baixam ainda mais quando se trata de consultas de rotinas com profissionais especializados em uma área: R$ 2 cada uma.

Ronaldo ainda afirmou que tal tabela não é atualizada desde 2004 e que o descaso maior com a saúde aconteceu no governo de Dilma Rousseff, que além de não reajustar os valores pagos aos médicos do setor público, chegou a fechar cerca de 25 mil leitos em todo o país.

Cobrança de postura firme do presidente Michel Temer

Caiado disse que não é contra nenhum governante, mas que a política nacional precisa ter prioridades, e que a saúde deveria ser uma delas. No decorrer de seu discurso, afirmou que o presidente em exercício, Michel Temer, precisa ser mais corajoso, citando como exemplo o caso de Macri, na Argentina, ao vencer os Kirchner.

Além da coragem, Caiado defendeu que Temer também seja humilde o suficiente para reconhecer a condição em que o país se encontra, deixando claro que, de acordo com as atuais circunstâncias, não é possível as pessoas viverem como acham que podem. O senador alerta que somente com a verdade e foco nas prioridades será possível recuperar o país da crise em que se encontra.

O político também disse que o que foi cobrado pelas pessoas que saíram às ruas pedindo o impeachment de Dilma deve se tornar pauta do presidente interino. Para tal reivindicação, Caiado falou ainda dos projetos que estão em votação no Senado Federal e que não representam as cobranças feitas pelo povo.

Ronaldo ainda afirma que é preciso ter coragem para definir o que são prioridades e o que são acessórios, não perdendo tempo com situações de contexto menor e que não mudam a realidade do país, tampouco respondem às perguntas da população. As palavras do senador foram elogiadas por internautas de suas redes sociais oficiais e de páginas e grupos de direita. Além disso, a maior parte das pessoas desconheciam os valores pagos aos médicos, o que chocou muita gente e justificou a falta de profissionais em algumas regiões do país.

Fonte: Blasting News

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505