04/07/2016 16h47 - Atualizado em 5/07/2016 09h58

Michel Temer pode dar vaga a Sérgio Moro no STF

Com o cargo Moro teria o poder de investigar até quem tem foro privilegiado, inclusive, presidente da república.
Foto: Vanessa Carvalho/Folhapress
Foto: Vanessa Carvalho/Folhapress

O juiz federal Sérgio Moro pode ganhar uma espécie de grande premiação do presidente em exercício Michel Temer, do PMDB. De acordo com uma reportagem publicada neste domingo, 03, no jornal do Brasil, a indicação do magistrado à uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF) tem ganho cada vez mais força entre os aliados do peemedebista. A ideia também é considerada arriscada, já que Moro como Ministro da mais alta corte do país teria o poder de investigar até quem tem foro privilegiado, inclusive, caso necessário, o próprio presidente da república.

O magistrado que recebeu neste ano o título de um dos 100 homens mais influentes do planeta pela revista Time não se abala e está conduzindo a principal investigação no país. Indicar Sérgio Moro ao cargo de Ministro do Supremo seria uma forma de premiá-lo. Isso está sendo debatido entre Temer, governadores e Ministros de estado. Alguns deles teriam até relações indiretas com a Lava Jato, que já envolveu praticamente todas as instâncias da governabilidade do país e pode chegar até ao próprio STF, como indicou no fim de semana o colunista Carlos Moreno do ‘Jornal O Globo’.

A notícia sobre a possível indicação a Sérgio Moro também teve destaque na coluna ‘Radar’, da revista Veja. Segundo a jornalista Vera Magalhães, o juiz teria negado em conversas recentes que queira se candidatar ao cargo de Ministro, mas também não esconde o sonho de um dia chegar ao auge da justiça no Brasil, o STF. O fato de receber uma indicação ao cargo agora seria visto por colegas como um “cala boca” e isso estaria a incomodar o magistrado. Os que apoiam a ideia, no entanto, lembram que Moro teria muito mais poder no Supremo e provocaria um terror geral.

Caso Moro seja um dos candidatos a vaga de Ministro, ele pode ocupar a vaga que hoje é de Celso de Mello. Ele tem 70 anos. No entanto, contra o juiz ainda pesa o fato de recentemente a aposentadoria dos juízes do Supremo ter mudado de 70 para 75 anos por conta da chamada “PEC da Bengala”. Apesar disso, Celso poderia antecipar o fim dos seus trabalhos, pois tem 47 anos de serviço à justiça.

Fonte: BlastingNews

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505