18/07/2016 18h00 - Atualizado em 18/07/2016 18h02

Tribunal de Justiça do Amazonas firma parceria com Exército para viabilizar Internet nas Comarcas do interior

O programa Amazônia Conectada prevê a instalação de 7,5 mil quilômetros de cabos de fibra ótica nos leitos dos rios.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O programa “Amazônia Conectada” ganhou mais um apoio para a sua expansão na Amazônia. Nesta segunda-feira, 18 de julho, o gvernador em exercício, desembargador Flávio Pascarelli, assinou um Termo de Convênio entre o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) e o programa para viabilizar internet banda larga para as Comarcas de Justiça no interior do Estado. O programa Amazônia Conectada prevê a instalação, em até três anos, de 7,5 mil quilômetros de cabos de fibra ótica nos leitos dos rios para interligar as cidades amazonenses à rede mundial de computadores.

Durante a assinatura do convênio na sede do TJ-AM, avenida André Araújo, bairro Aleixo, zona centro-sul, Flávio Pascarelli, ressaltou que a contrapartida do TJ-AM para o programa é de R$ 1,2 milhão para que possa viabilizar melhores condições de trabalho das unidades de Justiça do Amazonas. “Estamos entrando com esse investimento para que possamos ver as Comarcas do interior entrar no futuro. Temos um problema muito grande de comunicação há muito tempo. E com esse projeto acreditamos que vai permitir com que as unidades judiciárias tenham uma telecomunicação eficiente, permitindo que a Justiça seja mais célere em todas essas unidades”.

O programa Amazônia Conectada consiste na construção de uma infraestrutura de telecomunicações, através do lançamento de uma rede de cabos de fibra ótica no leito dos rios Negro, Solimões, Madeira, Juruá e Purus, por meio da qual serão disponibilizados serviços com alta capacidade e disponibilidade, como internet, Telemedicina, Telessaúde, Ensino à Distância, entre outras, para a população indígena e ribeirinha, escolas, organizações militares e órgãos públicos. Os cabos seguirão o curso dos rios criando uma rota e um Back Bone (tronco central), a partir dos quais os serviços serão disponibilizados para escolas, hospitais, órgãos públicos e organizações militares.

Avanços
O Projeto Amazônia Conectada já avançou com o lançamento de cabo subfluvial no trecho entre os municípios de Coari e Tefé, em março deste ano, interligando os dois municípios num trecho de 242,5 km de extensão. O próximo trecho para lançamento é Manaus-Coari, com 450 km de extensão e investimento total de R$ 18 milhões, sendo R$ 8 milhões provenientes de parcerias e o restante como contrapartida do Ministério da Educação (MEC), que ainda falta repassar o recurso para execução do lançamento.

O 1º trecho foi inaugurado em julho de 2015 e compreende cerca de 10 km de fibra óptica subfluvial, lançada no leito do Rio Negro. Esse trecho serve como demonstrador de tecnologia interligando o 4º Centro de Telemática de Área (4º CTA) com a 4ª Divisão de Levantamento (4ª DL), Organizações Militares do Exército Brasileiro. O chefe do Centro Integrado de Telemática do Exército, general Decílio Salles, enfatizou que esses investimentos são promissores para a redução das distâncias de comunicação da região amazônica.

“O custo hoje pelo projeto todo é de R$ 500 milhões, e essa solução de cabos subfluviais é importante porque possui uma alta capacidade de tráfego, em que podemos garantir bastante segurança. Teremos então uma solução nacional e um custo reduzido”.

Parceria
O projeto, com previsão de conclusão em três anos, é executado pelo Exército em parceria com o Governo do Amazonas, através da empresa Processamento de Dados do Amazonas (Prodam), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) e Universidade do Estado do Amazonas (UEA), além do Ministério da Defesa, Telebras, Eletrobras e Ibama, entre outros.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505