10/08/2016 10h13 - Atualizado em 10/08/2016 10h13

Ações de orientação e prevenção garantem dignidade da população no Torneio Olímpico de Futebol em Manaus

Secretarias da área social atuaram de maneira preventiva para garantir os direitos e deveres das pessoas com deficiência, mulheres, idosos e crianças.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Durante os três dias de competição do Torneio Olímpico de Futebol em Manaus, as secretarias da área social do Governo do Amazonas atuaram de maneira preventiva para garantir os direitos e deveres das pessoas com deficiência, mulheres, idosos e crianças. Mais de 300 servidores públicos estaduais e municipais participaram das mobilizações no entorno da Arena da Amazônia.

Com um trabalho de sensibilização junto ao público, a Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) realizou orientações referentes ao cuidado dos pais com os filhos no evento e, também, a fiscalização de casos que ferissem a dignidade dos crianças e adolescentes. Durante a operação, foram registrados quatro casos de crianças em situação de trabalho infantil, nesta terça-feira (9), no entorno da Arena da Amazônia. Os menores estavam fazendo vendas, na esquina da Djalma Batista com a Pedro Teixeira, na companhia dos pais.

“Nossa intervenção foi pedagógica junto a eles, mas caso haja reincidência levaremos pai e filho para o Conselho Tutelar para receber advertência”, explicou Julieta Moraes, gerente dos Serviços de Proteção Social de Média Complexidade da Seas.

Transporta
Na área da acessibilidade, a Secretaria Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped), em parceria com a Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), viabilizou a locomoção de aproximadamente 1,5 mil pessoas com deficiência e seus familiares. As pessoas foram deslocadas em ônibus adaptados, que saíam da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) para a Arena da Amazônia. Outro destaque foi o serviço tradução e interpretação em Libras, proporcionado pelos colaboradores da Central de Intérpretes de Libras do Amazonas.

“Estivemos atendendo aquelas pessoas que realmente precisaram de ajuda e, nesses dias, estivemos nos pontos de acesso ao estádio onde o fluxo de pessoas eram maiores, mas ocorreu tudo bem graças a Deus”, comentou Fabiana Ferreira, coordenadora da Central.

Apoio
Além da Seas, o trabalho contou com o apoio das Secretarias de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Segurança Pública – por meio do Previne (Programa de Prevenção à Violência e Combate a Uso de Narcóticos e Entorpecentes) -, Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped), Educação (Seduc), Conselho Tutelar, Amazonastur e Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semmasdh).

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505