29/08/2016 09h39 - Atualizado em 29/08/2016 09h39

Comércio de sex shop em escola pública de Manaus será apurado pela Promotoria de Justiça

Segundo professores da Escola Estadual Presidente Castelo Branco, estava sendo feita uma exposição de artigos sexuais a estudantes menores de idade.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

A diretoria da Escola Estadual Presidente Castelo Branco, situada no bairro São Jorge, Zona Oeste, será notificada nesta segunda-feira (29) pela 28ª Promotoria de Justiça da Infância e Juventude do Ministério Público do Amazonas (MP-AM) para explicar a comercialização de artigos de sex shop nas dependências da escola.

Vibradores, produtos para lubrificação íntima, calcinhas comestíveis, lingeries e algemas estavam entre os itens expostos no stand. Para uma professora que preferiu não se identificar, o caso “saiu da normalidade”.

De acordo com o conselheiro tutelar da Zona Oeste, Nilson Matos, a diretora da escola não gostou da exposição do fato e dos professores terem vazado a informação de que estava sendo feita uma exposição de artigos sexuais a estudantes menores de idade em um stand da escola, na sexta-feira (26).

Segundo a Seduc, os organizadores do evento – comunitários do bairro São Jorge – solicitaram a quadra do colégio para realização de um brechó, mas em nenhum momento foi informado que produtos adultos estariam à venda.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505