04/08/2016 10h36 - Atualizado em 4/08/2016 10h36

Detentos tentam queimar bloqueadores de celular em Natal

Os detentos usaram colchões para tentar atingir duas torres de bloqueadores que estavam funcionando no presídio desde o dia 2.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Um grupo de presos tentou atear fogo nos bloqueadores de celulares instalados na Penitenciária Estadual de Parnamirim (PEP), na região metropolitana de Natal (RN). Segundo a Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejuc), o motim aconteceu na noite de ontem (3), durou cerca de uma hora e foi contido por militares e agentes de segurança.

Os detentos usaram colchões para tentar atingir duas torres de bloqueadores que estavam funcionando no presídio desde terça-feira (2). A Sejuc informou que o sistema continua funcionando, mas que técnicos irão hoje ao local verificar a situação.

A instalação de bloqueadores de sinal é a causa de uma onda de ataques no Rio Grande do Norte desde a sexta-feira (29), em cidades do interior e da região metropolitana da capital.

No último boletim divulgado pelo governo do estado foram registradas 106 ocorrências, entre incêndios, tentativas de incêndios, disparos contra prédios públicos e proximidades, depredações e uso de artefatos explosivos e 32 veículos, entre ônibus e micro-ônibus foram incendiados.

O governo informou que o presídio de Parnamirim foi selecionado para funcionar em regime diferenciado de gestão penitenciária, portanto, terá prioridade na adoção de controles e restrições mais rígidas.

Outros bloqueadores de sinal, que segundo o governo, foram adquiridos com recursos próprios, serão instalados em unidades prisionais. As próximas a receberem os equipamentos serão a Cadeia Pública de Nova Cruz, em Nova Cruz, e as penitenciárias estaduais Dr. Francisco Nogueira Fernandes (Alcaçuz) e Rogério Coutinho Madruga, ambas em Alcaçuz.

O Rio Grande do Norte possui 32 unidades prisionais e têm hoje aproximadamente 7,7 mil detentos. Segundo a Sejuc, não houve distúrbios em outros presídios, mas as unidades estão em alerta, e as intervenções, como revistas às celas e presos, foram intensificadas.

Forças Armadas

Hoje, 1,2 mil militares das Forças Armadas começam a atuar no estado, auxiliando a polícia local na segurança e combate aos ataques. O ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sergio Etchegoyen, estão no Rio Grande do Norte para acompanhar o primeiro dia de trabalho e contribuir com o plano de ação das tropas militares.

Fonte: Agência Brasil

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505