11/08/2016 15h53 - Atualizado em 11/08/2016 15h53

Professora da rede pública estadual tem trabalho aprovado no 3º Congresso Nacional de Educação

O projeto é voltado para a conscientização do uso sustentável de produtos que seriam descartados no meio ambiente.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Projeto une a arte e sustentabilidade a partir da alfabetização científica, reciclando materiais que seriam descartados.

Um projeto voltado para a conscientização do uso sustentável de produtos que seriam descartados no meio ambiente, desenvolvido e coordenado pela professora da disciplina de Artes, Denise Rodrigues, com os alunos dos 6º e 7º anos do Ensino Fundamental do Instituto de Educação do Amazonas (IEA), foi aprovado para ser apresentado no 3º Congresso Nacional de Educação (Conedu), que será realizado em Natal (RN), entre os dias 5 a 7 de outubro deste ano.

O trabalho desenvolvido pela professora é intitulado “A Metamorfose do Lixo em Objetos Artísticos: Arte e Sustentabilidade nas 6ª e 7ª séries do Instituto de Educação do Amazonas (IEA)”. Além de ter sido aceito na terceira edição do Conedu, o trabalho também foi contemplado pelo Programa Ciência na Escola (PCE), desenvolvido pelo Governo do Estado do Amazonas em parceria entre a Secretaria de Estado da Educação e da Qualidade do Ensino (Seduc) e Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

O trabalho conta com a participação de quatro jovens bolsistas: Marcos Peixoto, Marechal Trindade e Zyon Puga Rocha, os três com 11 anos de idade e cursando o 6º ano; além de Marcella Wolfarth, de 13 anos e cursando o 7º ano. “O projeto está em andamento e tem a intenção de contribuir para a conscientização do uso sustentável dos materiais que seriam descartados e para a percepção dos impactos causados pelo lixo ao meio ambiente. Todo este trabalho é desenvolvido com os alunos dos 6º e 7º anos do Ensino Fundamental do IEA”, disse a professora Denise Rodrigues.

Ainda conforme a docente, o objetivo do projeto é fazer com que os alunos possam compreender as relações existentes entre arte e sustentabilidade a partir da alfabetização científica, sensibilização artística e reciclagem de materiais que seriam descartados.

Aprovação é reconhecimento
Para a gestora da escola, Shirley de Souza, a aprovação do projeto no congresso é o reconhecimento do bom trabalho desenvolvido. “Para nós do IEA, isso é a comprovação do trabalho que realizamos na escola e isso irá incentivar mais os professores a realizarem projetos como esses com os alunos, que são o nosso foco principal”, afirmou.

Neste projeto, serão utilizados, no decorrer do trabalho, princípios da arte-educação, pois ela é caracterizada como uma disciplina educativa que dá oportunidades para os alunos terem acesso à arte como linguagem expressiva e uma forma de obter conhecimento.

O projeto está dividido em 5 fases: leitura e interpretação; sensibilização teórica; coleta de dados; oficinas de conscientização; e exposições. Essas oficinas ainda serão realizadas com alguns alunos não bolsistas, em que serão utilizadas técnicas de reciclagem para terem uma nova concepção dos materiais descartados.

Dentro dessa atividade, a professora busca utilizar a abordagem triangular que consiste em “ver, fazer e apreciar”, teoria utilizada para a prática do ensino da arte elaborada pela autora, Ana Mae Barbosa (educadora brasileira pioneira em arte-educação). Nessa oficina, os estudantes bolsistas do projeto serão os monitores e estão sendo preparados para a realização desse trabalho.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505