29/09/2016 15h18 - Atualizado em 29/09/2016 15h19

Em resposta a Lewandowski, Gilmar diz que ‘tropeço’ foi fatiar votação do impeachment

Lewandowski, afirmou em uma aula que o impeachment de Dilma foi um “tropeço da democracia”.
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, rebateu as declarações feitas pelo ex-presidente do STF Ricardo Lewandowski, que afirmou em uma aula que o impeachment de Dilma Rousseff foi um “tropeço da democracia”.

“Acho que o único tropeço que houve foi aquele do fatiamento, aquele DVS (destaque para votação em separado) da Constituição, para o qual teve contribuição decisiva o presidente do Supremo”, disparou Gilmar.

“Eu tenho impressão que esse processo correu com normalidade. Esse processo, em linha de princípio, foi exageradamente regulado pelo Supremo Tribunal Federal. O Supremo praticamente emitiu uma norma complementando o crime de responsabilidade”, acrescentou, em relação ao impeachment.

Lewandowski presidiu a sessão da votação final do impeachment no Senado e deixou para que o Senado definisse se gostaria que Dilma permanecesse habilitada para exercer funções públicas, apesar de ter perdido o mandato. A proposta, apresentada pela bancada do PT, foi aprovada e Dilma não perdeu a elegibilidade.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505