16/09/2016 15h01 - Atualizado em 16/09/2016 15h01

Pronto-Socorro João Lúcio realiza cirurgia inédita para tratamento de aneurisma

Na rede pública, esse tipo de cirurgia até então era realizada somente no Hospital Universitário Getúlio Vargas
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O Hospital e Pronto-Socorro Doutor João Lúcio Machado, unidade da Secretaria Estadual de Saúde (Susam), realizou nesta semana uma cirurgia neurológica de alta complexidade e inédita na unidade, para correção de aneurisma, dilatação localizada na parede de um vaso sanguíneo, que pode levar à morte do paciente. O procedimento, chamado de clipagem de aneurisma, impede a ruptura do vaso sanguíneo. O João Lúcio fica localizado na zona Leste de Manaus.

Na rede pública, esse tipo de cirurgia até então era realizada somente no Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Pedro Elias de Souza, para realizar esse tipo de procedimento, a Susam adquiriu um equipamento microscópio de alta tecnologia. O secretário explica que o Hospital João Lúcio recebe em média 10 a 15 pacientes por mês, com diagnóstico de aneurisma. “Com o início da oferta desse tipo de procedimento na unidade, vai ser possível agilizar o atendimento aos pacientes internados que necessitam da cirurgia e que não precisarão mais ser removidos para o Hospital Getúlio Vargas”, ressaltou.

O primeiro procedimento de clipagem de aneurisma, no João Lúcio, foi realizado nesta quinta-feira, dia 15, em uma paciente de 49 anos, diagnosticada há cerca de um mês com aneurisma na artéria cerebral média direita. Ela deu entrada na unidade com forte dor de cabeça. O procedimento, que durou cerca de cinco horas, foi considerado um sucesso pela equipe médica. A paciente segue internada no HPSJL, com quadro clínico estável.

Segundo o neurocirurgião Ruan Dorado, um dos médicos que realizou a cirurgia, a clipagem de aneurisma consiste na colocação de uma peça metálica (clip), para evitar o sangramento cerebral e a ruptura do vaso sanguíneo. Ele explica que através do microscópio é possível visualizar o sangramento e, com isso, identificar o local exato onde o clip deve ser colocado.

Dados do Ministério da Saúde indicam que em torno de 6,5 mil pessoas morrem anualmente no Brasil por aneurisma. Conforme o neurocirurgião Ruan Dorado, o aneurisma é caracterizado por um enfraquecimento da parede arterial ou de uma sobrecarga dela. O quadro clínico típico é dor de cabeça súbita e muito forte. Isso ocorre porque a dilatação progressiva do aneurisma vai deixando a parede arterial cada vez mais fina, até que ela não resiste e se rompe, causando hemorragia severa, que pode levar à morte.

*** Se você é a favor de uma imprensa totalmente livre e imparcial, colabore curtindo a nossa página no Facebook e visitando com frequência o AM POST.

Ultimas notícias

Contato Termos de uso Wp: (92) 99344-0505